Congresso ABES Fenasan 2017 – destaques do dia 5: presença do senador Jorge Viana e Conferência de Saúde

Senador Jorge Viana ministra última palestra magna e pede mais ênfase às discussões sobre saneamento na sociedade e no Congresso Nacional

Em sua Palestra Magna nesta quinta-feira (05/10), último dia de painéis do Congresso ABES/Fenasan, realizado no São Paulo Expo, na Capital paulista de 2 a 6 de outubro, o senador Jorge Viana (PT/AC) disse que as discussões sobre saneamento e resíduos sólidos não têm a mesma importância que é dada ao tema no resto do mundo. O parlamentar acreano, que já foi prefeito de Rio Branco e governador do estado por dois mandatos, disse que o preparo que falta aos gestores em cargos administrativos sobra nos integrantes de órgãos reguladores. “Isso atrapalha a gestão quando se estabelecem regras e tetos de gastos, antes de se estabelecer critérios para as obras públicas”. Além da palestra, Viana participou de um bate-papo com o presidente desta edição do Congresso, Alceu Guérios Bittencourt (membro do Conselho Consultivo da ABES-SP).

Viana disse ainda que a oportunidade do país começar a agir para se precaver de colapsos de abastecimento e de tragédias causadas pelas mudanças climáticas é agora com o Fórum Mundial da Água (que acontece em março, em Brasília). “Vamos convidar os parlamentares para a discussão porque antes de tudo é uma questão legislativa. Tem lobby para tudo no Congresso, menos para saneamento ambiental”, destaca. Para ele a mobilização política em torno dos temas saneamento e mudanças climáticas não está deficitária só no Brasil. “Se o acordo de Paris for cumprido haverá reflexos no saneamento. Esse acordo prevê investimento de US$ 100 bilhões, mas como fazer isso sem a maior economia do mundo, já que o presidente americano Donald Trump anunciou a saída do acordo?”, indagou.

Em seu discurso Viana, que já participou de congressos sobre o tema e de edições anteriores do Fórum Mundial da Água, disse que as mudanças climáticas vão atingir sobretudo as cidades. O parlamentar contabiliza que cerca de 4 bilhões de pessoas no mundo moram nas cidades e é delas que sai mais de 50% das emissões de gases que afetam o clima. Dois graus a mais de temperatura trarão uma reação da natureza mais forte nas cidades.  Estamos falando de nível do mar, de cidades costeiras, de saneamento; teremos mais eventos extremos, como ciclones tropicais e secas”.

Custos

Citando exemplo do rio Tâmisa, em Londres, que no século XIX era o rio do mau cheiro e das doenças como cólera, mas que hoje está despoluído depois de 50 anos de ações de governo, Jorge Viana explicou que toda essa ação de saneamento tem a ver com o clima. “Nos anos 60 os europeus resolveram limpar seus rios e nós, na mesma época, decidimos poluir os nossos. Ainda não tomamos a decisão de despoluir definitivamente os rios e junto com as mudanças climáticas, essas coisas trarão mais problemas para as cidades que vão ter que se adaptar e é caro fazer isso, os prejuízos vão se acelerar e a resposta para desastres naturais custa 7 vezes mais cara que a prevenção”, finalizou.

Ao final da palestra, Alceu Guérios Bittencourt reforçou a colocação de Viana sobre a pequena importância que o saneamento e o clima têm no Poder Legislativo. “O Fórum Mundial da Água ser em Brasília é muito importante, coincidentemente quando a Capital vive um racionamento de água. É importante a participação parlamentar porque estamos falando de legislação e o Poder Legislativo não tem tido essa sensibilidade, quem sabe, sediando o fórum, isso mude”, complementou.

  

Conferência Livre de Saúde inédita e lançamento da Câmara Temática de Saúde Ambiental

O Congresso ABES Fenasan 2017 promoveu, pela primeira vez em sua história, uma Conferência Livre de Saúde.

Com o tema “Saneamento no Território: Como estabelecer e fortalecer o diálogo entre os setores de saneamento e de saúde?”, a conferência discutiu a importância de políticas públicas integradas no cenário atual, levando em consideração o crescimento das cidades e regiões metropolitanas.

O painel foi coordenado pela Diretora da ABES-SP e Coordenadora das Câmaras Técnicas de Saúde Pública e Resíduos Sólidos de São Paulo, Roseane Maria Garcia Lopes de Souza, que agora passa a coordenar também a Câmara Temática de Saúde Ambiental, em âmbito nacional.

 

 

 

 

 

 

 

Olimpíadas do JPS

O Programa Jovens Profissionais do Saneamento realizou uma das ações mais animadas do evento: a Olimpíada JPS.

Foram 8 equipes de jovens: quatro de Goiás, duas do Mato Grosso e duas de São Paulo  concorreram. Os jovens participaram do quiz com perguntas abordando temas da Engenharia Sanitária e do Meio Ambiente e executaram as tarefas da gincana (acesse vídeos e fotos na página do JPS no Facebook).

A equipe ganhadora foi a Ipê do Pé Rachado, de Goiás.



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Participe! Seja o primeiro a comentar

Dicas, comentários e sugestões

Seu e-mail não será publicado.




%d blogueiros gostam disto: