ABES-SP: lançamento de guia sobre saneamento e saúde do catador marca encerramento do DIADESOL 2018. Evento premiou vencedores dos concursos de desenho e vídeo

Por Suely Melo e Clara Zaim

A Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES Seção São Paulo (ABES-SP), por meio de sua Câmara Técnica de Resíduos Sólidos, finalizou nesta sexta, 9 de novembro, mais uma edição da campanha DIADESOL. Além de premiar premiou vencedores dos concursos de Desenho Infantil e Vídeo Amador, a iniciativa, que visa conscientizar sobre os resíduos sólidos, foi palco para o lançamento do guia “Saneamento Ambiental e Saúde do Catador de Material Reciclável”. O livro disponível aqui.

O evento contou com mais de 80 participantes e lotou o auditório da Cetesb, na capital paulista. Acesse aqui o álbum de fotos. 

Integraram a mesa de abertura o presidente da ABES-SP, Márcio Gonçalves de Oliveira, a diretora e coordenadora das Câmaras Técnicas de Resíduos Sólidos e de Saúde Pública da seção, Roseane M. Lopes de Souza, e o Diretor- presidente da Cetesb, Carlos Roberto dos Santos.

No primeiro momento, foi realizado o lançamento do livro, com a participação de autores da publicação, que tem coordenação de Roseane. Em sua fala, Márcio Gonçalves parabenizou os envolvidos no projeto. “O livro é como um nascimento de um filho. Foi construído com muito amor e dedicação da ABES-SP, da Roseane e dos autores”, disse.

“Parabéns para os autores que dedicaram tempo e buscaram construir um material de qualidade para transmitir e dividir conhecimento por meio da consulta sobre água, saneamento, resíduos sólidos, drenagem e esgoto”, enfatizou o presidente da ABES-SP. “É mais uma página importante para os resíduos sólidos e para a sua evolução. O setor deve se unir para construir um futuro melhor no saneamento básico”, afirmou e  reforçou que o trabalho foi elaborado com vários autores olhando toda a cadeia dos resíduos sólidos. Disse também que um dos elementos principais neste contexto é o catador. “A política precisa acontecer. Estamos realizando ações para isso”, concluiu.

Roseane informou aos presentes que a distribuição da publicação é gratuita (acesse aqui). “A política pública deve olhar para as cooperativas e para os profissionais”, ressaltou e lembrou como nasceu a ideia do livro. “Fiz uma palestra na Expocatador e fui questionada por um catador sobre soluções na questão da saúde. Resolvi me aprofundar e levei o assunto para a ABES-SP”, contou. “Precisamos ajudar a política pública. É necessário juntar as cooperativas, os catadores, as ONGs e a sociedade para solucionar os problemas”, acrescentou a engenheira.

Carlos Roberto dos Santos falou sobre o significado da publicação para a área. “A Cetesb reconhece a importância dos catadores para a reciclagem do país. As cooperativas vêm crescendo e se aprimorando. O material é importante para a cadeia de reciclagem, logística reversa. Temos um avanço na reciclagem de resíduos”, disse.

Autores

O livro conta com capítulos de 18 especialistas. Alguns deles estiveram presentes no evento e comentaram sobre a importância do trabalho desenvolvido.

“Nosso capítulo trata do marco jurídico sobre a questão dos catadores de materiais recicláveis”, disse Davi Quintanilha Failde de Azevedo, que é Defensor Público do Estado de São Paulo. “Tratamos da normativa de como funciona a cooperativa em relação ao marco legal da lei de resíduos sólidos. Espero que com a publicação possamos fomentar a regularização das cooperativas para que tenham um suporte do próprio estado para as suas atividades”, salientou.

Para Fabrício Dorado Soler, advogado especializado em Direito do Ambiente e Direito dos Resíduos, a importância da obra é trazer melhores práticas voltadas ao apoio do fomento das cooperativas. “Traz a prática com profissionais de implementação em ações de capacitação e do fomento das cooperativas. A obra foi lançada em um momento oportuno. Era uma carência do mercado. Vai subsidiar o sistema de logística reserva e a Política Nacional de Resíduos Sólidos”, afirmou o especialista.

Roberto Rocha, integrante do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR),  destaca que a publicação é muito importante para a organização dos catadores. “Contribui para o trabalho no dia a dia da equipe técnica e os catadores, principalmente, com relação à saúde”, pontuou. “O material será muito útil para a profissionalização e organização dos catadores. Para as organizações de todo país”, finalizou.

Já a médica, especialista em saúde ambiental Ana Maria Maniero Moreira, que escreveu sobre os riscos ocupacionais, lembra que seu capítulo mostra a pesquisa que foi feita durante as visitas às cooperativas de São Paulo. “Pudemos ver as condições de trabalho dos catadores e vimos o que podemos melhorar. Cabe aos gestores públicos promover essas melhorias”, disse. “Com o livro queremos auxiliar nesse processo para melhorar a vida dos catadores de todo Brasil”, enfatizou.

Vencedores dos concursos de desenho e vídeo

A segunda parte do evento contou com a participação do artista “Caipira – O amigo do Planeta”, que falou sobre cidadania e a importância participação de todos na questão dos resíduos sólidos. “O evento organizado pela ABES é maravilhoso!”, disse ele. “Levando em consideração que trabalho visando a construção de uma sociedade mais humana, justa e ecologicamente correta, a participação nesse evento alegra muito o meu coração. É motivo de alegria e de satisfação”, comentou Jô Caipira. Em seguida, foram apresentados e premiados os ganhadores dos Concursos de Desenho Infantil (quatro) e Vídeo Amador (três). O evento foi encerrado com uma apresentação do Coral da Cetesb.

 

Helen Ferrari, de Mogi Guaçu/SP, abordou em seu vídeo o tema “Você não precisa ser mágico para transformar resíduo em dinheiro” e ficou com o segundo lugar. “Agradeço pela oportunidade de participar do projeto. Foi um desafio colocar o vídeo em prática para conscientizar as crianças das escolas municipais de Mogi Guaçu”, disse. “O resíduo pode ser transformado em dinheiro e não necessariamente ir para o lixo. Pode ser encaminhado para a cooperativa e gerar renda para a família. Agradeço a professora Renata por tudo”.

Já Milena Sezimbra, de 13 anos, moradora de Guarulhos/SP, foi a terceira vencedora com o vídeo “Cuidando do planeta”. “Estou muito feliz de estar entre os finalistas”, disse. O mais importante é a mensagem de conscientização e responsabilidade sobre resíduos sólidos. As pessoas não dão tanta importância, mas é um assunto importante e devemos ter cuidado com o nosso planeta”, enfatizou a adolescente.

Com o tema “Jogo da Sustentabilidade”, o produtor audiovisual Bruno Sena, de Suzano/SP, garantiu o primeiro lugar. E esta não foi a primeira vez. Bruno é veterano. Já participa do concurso desde 2010. “Esta é a quinta vez que sou premiado neste concurso”, orgulha-se. “A minha motivação é sempre a conscientização e a preservação dos recursos hídricos e o trato correto dos resíduos”, explicou Bruno.

Segundo o ele, o tema deste ano foi desafio. “Tive que pensar fora da ‘caixa’ para participar e elaborar o trabalho para o tema do concurso”, contou. “A ideia com o vídeo foi trazer a temática da proteção ambiental com uma linguagem moderna para atrair e conscientizar o público jovem com relação aos resíduos e à sua destinação”. Este ano, Bruno ganhou também um concurso de vídeo – feito por meio do celular – realizado pela Secretária de Cultura do Governo do Estado de São Paulo sobre os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, da ONU.

Desenho

Ana Laura Sanches Peres, de 12 anos, da Escola Municipal Dr. Paulo Birolli Netto – Uchoa/SP, disse que gostou muito participar e de vencer o concurso. “Foi importante para as pessoas terem a conscientização que precisam cuidar do meio ambiente e reciclar não jogar lixo nos rios nem nas áreas verdes”.

Giovana Cristhina Mendes Lucindo, da Escola Estadual Padre Afonso Paschotte – Mauá/SP) ficou encantada por estar entre os ganhadores. Seu desenho ficou no segundo lugar. “Não acreditava que poderia estar entre os finalistas do concurso. Isso para mim é uma honra”.

A pequena Nathalie Vitoria Alves Martins, da Escola Santo Agostinho – Bragança Paulista/SP, também ficou feliz em participar e ser uma das vencedoras (4ª colocada). Além de agradecer, ela deixou uma reflexão. “As pessoas precisam entender que não é só culpa dos outros, que elas precisam fazer alguma coisa para ajudar a mudar o país. Agradeço à escola e aos que votaram em mim”.

A outra finalista do concurso foi Morgana Margarida Ribeiro Melhor, de Salvador, na Bahia, que receberá sua premiação em casa.

Veja a lista dos finalistas

Desenho Infantil 

1º Ana Laura Sanches Peres (EM Dr Paulo Birolli Netto – Uchoa/SP )

2º Giovana Cristhina Mendes Lucindo (EE Padre Afonso Paschotte – Mauá/SP)

3º Nathalie Vitoria Alves Martins (Escola Santo Agostinho – Bragança Paulista/SP

 

4º Morgana Margarida Ribeiro Melhor (Salvador/BA)

 

 

 

Vídeo Amador 

Helen Ferrari, Mogi Guaçu/SP

Você não precisa ser mágico para transformar resíduo em dinheiro

 

Milena Sezimbra, Guarulhos/SP

Cuidando do planeta

 

Bruno Sena

O jogo da Sustentabilidade

O jogo da Sustentabilidade

 

Balanço

“Mais uma vez estamos realizando o evento DIADESOL, que é muito importante e que cresce a cada ano e se empodera”, ressaltou Nina Orlow, da Comissão Organizadora do DIADESOL e integrante da Comissão dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU. “A sustentabilidade tem de ser aplicada na prática e nada como colocar a criança para desenhar ou fazer o vídeo e debater sobre o assunto com a família”, destacou. “É a disseminação da informação, seja de forma lúdica seja mais séria. Estamos felizes com a premiação desse ano. Foi difícil escolher os finalistas, pois tem muita qualidade e conceitos nos trabalhos. Espero que no ano que vem seja um sucesso e que possamos divulgar os ODS da Agenda 2030 em todo país”, concluiu Nina.

Roseane também saiu contente com a realização conjunta da premiação e o lançamento do guia. “O evento foi excelente com o lançamento do livro e Concurso de desenho e vídeo. Foram integrados e encaixou um com o outro. O lançamento do livro foi muito importante e vai servir para cooperativa, prefeitura e catadores. Já está disponível no site da ABES e a publicação distribuída para as instituições. Vão acontecer mais eventos a partir desse livro, que é o primeiro do Brasil e que integrou várias áreas”, frisou a coordenadora da publicação.

 

1 Comentário em ABES-SP: lançamento de guia sobre saneamento e saúde do catador marca encerramento do DIADESOL 2018. Evento premiou vencedores dos concursos de desenho e vídeo

  1. De acordo com o feedback dos clientes, a droga tem as seguintes vantagens: preço favorável; pesquisa clínica foi realizada; econômico; fácil de usar; não deixa traços gordurosos; remove sinais de doença. Para o curso da terapia com esta droga, a atividade motora é restaurada, o equilíbrio sal-água do organismo é normalizado, o processo de regeneração tecidual é iniciado. parazity.info Após a conclusão com êxito de um curso de 4 semanas de tratamento em casa, você pode se livrar completamente dos sintomas da artrite e retornar à atividade física completa. – Alivia dores e inchaços – Elimina inflamações – Previne a destruição articular – Previne complicações da doença, bem como a possível intervenção cirúrgica.

Dicas, comentários e sugestões

Seu e-mail não será publicado.




Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: