JPS-SP e Câmara de Meio Ambiente da ABES-SP promovem visita ao Pátio Victor Malzoni, edifício modelo de sustentabilidade

Por Clara Zaim

Neste sábado, 19 de outubro, o Programa Jovens Profissionais de Saneamento da ABES Seção São Paulo (JPS/ABES-SP) e Câmara Técnica de Meio Ambiente e Mudanças Climáticas da Seção SP realizaram uma visita ao Edifício Pátio Victor Malzoni, que é modelo no Brasil em iniciativas sociais e ambientalmente responsáveis.

Localizado na Avenida Faria Lima, no bairro do Itaim Bibi, na capital paulista, o empreendimento verde, que é um dos marcos da cidade de São Paulo, alia tecnologia e sustentabilidade com preservação de patrimônio histórico. São 2 torres, com 20 andares e 6 subsolos. Abriga grandes empresas nacionais e multinacionais, com uma circulação média de 5.000 pessoas por dia e possui certificação Leed (sigla em inglês para Liderança em Energia e Design Ambiental) For Core & Shell – que atesta a construção sustentável de toda a área comum, sistema de ar condicionado e estrutura principal.

A administração do condomínio buscou o diálogo com as empresas, de acordo, com o seu perfil para adotar práticas sustentáveis. Toda a estrutura custou R$250 mil, equipamentos foram doados em troca da visibilidade da marca e outros foram locados. O projeto adota coleta seletiva, separação de recicláveis e orgânicos, destinação correta e a criação da primeira horta subterrânea na América Latina. Os resíduos são separados e cada um tem a sua destinação: plástico, papel e papelão são separados para venda e custos do edifício; bitucas de cigarro – passam pelo processo de reciclagem. viram tijolo para fazer churrasqueiras; vidros – recebem destinação adequada, por meio de acordo com cooperativas.

Há tomadas e vagas para carros elétricos, que inclusive ficam mais próximas aos elevadores, e bicicletário. Há também Estação de Tratamento de Esgoto patrocinada pela marca Tigre. O adubo gerado é doado para ONGs, entidades parceiras e ao próprio condomínio. O edifício recebeu menção honrosa na categoria Micro e Pequenas Empresas no 11º Prêmio Fiesp de Conservação e Reúso de Água pelo Projeto EcoMalzoni: Estação de tratamento de água/sistema de reúso. O edifício disponibiliza ainda visitas pagas e periódicas para o público conhecer o projeto, além de locação do espaço para eventos e atividades culturais.

As gentilezas urbanas também são pensadas pelos administradores do condomínio, que acreditam que as relações pessoais e comerciais também têm que ser sustentáveis. O espaço mantém a preservação da Casa Bandeirista, que é considerada um ícone cultural e arquitetônico do Itaim Bibi. A Casa Bandeirista recebe até o dia 8 de novembro a exposição “A Jornada do Rinoceronte”, do renomado fotógrafo Érico Hiller, que alerta a população sobre a  preservação ambiental, abordando a caça ilegal da espécie nos países africanos e asiáticos.

Fabio Nascimento, Diretor de Relações Institucionais do Edifício Pátio Victor Malzoni, afirmou que é gostoso receber pessoas de idades e níveis diferentes para falar sobre o projeto. “É importante e gratificante poder dividir e fazer essa provocação para as pessoas adquirirem hábitos mais sustentáveis e respeitarem o próximo”, afirmou. O diretor ainda ressaltou que a horta subterrânea foi uma ideia inovadora. “Foi um case que veio da Finlândia. Colocamos luz artificial para promover a fotossíntese de temperos que são gerados na garagem de um prédio comercial. O resultado desse trabalho é distribuído para os ocupantes do prédio como uma proposta educativa”, finalizou Nascimento.

A coordenadora do JPS-SP, Maria Fernanda Bentubo, agradeceu pela visita e reforçou a importância da iniciativa, articulada por Ricardo Crepaldi, coordenador da CT de Meio Ambiente e Mudanças Climáticas. “Fiquei muito feliz. Gostaria de reforçar a importância do comprometimento dos integrantes do JPS para não perderem essas oportunidades únicas e tão concorridas. O projeto é muito eficiente na área de resíduos, reúne sustentabilidade ambiental, social e econômica”, destacou Bentubo.

Alvaro Diogo Teixeira, coordenador nacional do JPS também esteve presente na visita e para ele, é importante para os jovens profissionais verem que dá para ser sustentável na área urbana. “Vimos como é possível um prédio da região metropolitana e urbanizada ter práticas sustentáveis, coleta seletiva de lixo, gerenciamento de resíduos sólidos, reúso de água. A visita agregou muito para o conhecimento dos jovens”, enfatizou Teixeira.

Ricardo Crepaldi também pontuou que a visita é muito importante para o jovem ver de forma até lúdica que é possível fazer sustentabilidade e que cada ação tem uma reação positiva de retorno. “É uma questão que vai além do ambiental, é social. Não devemos nos preocupar só com resíduos, água e esgoto. Devemos pensar nas pessoas que estão no mesmo ambiente com mais cuidado e gentileza, de uma forma mais holística”, disse. “A visita é muito importante para conscientização, ver que é possível fazer ações visando sustentabilidade, para que possam ser reaplicadas em vários lugares, inclusive, em nossas residências”, completou o coordenador da Câmara.

Participantes contam como foi a experiência. 

Para Janaina Pinheiro, engenheira ambiental da Secretaria do Verde e integrante do JPS- SP, o projeto é motivador e incrível. “As iniciativas vão muito além do convencional. É uma maneira de pensar a sustentabilidade de uma forma diferente, inclusive, com as gentilezas urbanas.

Achei importantíssimo a gestão de reúso de água. É importante conhecer e que mais pessoas possam vir a adotar essas práticas”, afirmou.Camila Gonçalves Bellato, analista econômica na VLI Multimodal S/A e integrante do Núcleo Baixada Santista do JPS-SP destacou que “a visita foi produtiva. Podemos implementar isso no dia a dia e nos ambientes empresariais que a gente vive. O que ajuda muito o meio ambiente e a sociedade, principalmente o terceiro setor”.

Sobre o JPS

O Jovens Profissionais do Saneamento é um programa de desenvolvimento contínuo, criado pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental em 2010, que tem como objetivo despertar habilidades e lideranças entre os jovens que atuam em saneamento, e promover o debate de temas atuais relacionados ao setor de Saneamento e Meio Ambiente. O JPS está presente em quase todos os estados brasileiros.

O JPS proporciona aos seus integrantes ações como suporte à publicação de artigos técnicos para apresentação em congressos, divulgação de cursos, participação em eventos, promoção de visitas técnicas e palestras sobre o setor, com o objetivo de aprimorar o conhecimento acadêmico dos jovens e promover uma rede de relacionamento.

A participação no programa é gratuita. Para fazer parte do JPS-SP, entre em contato pelo e-mail: jps@abes-sp.org.br .

Para saber como participar do programa em outros estados, acesse a página dos Jovens Profissionais do Saneamento (aclique aqui).

Participe! Seja o primeiro a comentar

Dicas, comentários e sugestões

Seu e-mail não será publicado.




Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: