Últimas Notícias

Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento 2016: Seminário IGS apresenta e premia cases

Seminário IGS em São Paulo - foto: Kadu Ferreira

A Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES, por meio do Comitê Nacional de Qualidade ABES (CNQA), promoveu, nesta segunda-feira, 21 de novembro, a 13ª edição do Seminário Inovação da Gestão em Saneamento – IGS. O evento ocorreu no Hotel Maksoud Plaza, em São Paulo. Na ocasião, foram apresentados 16 cases de sucesso das empresas Sabesp, de São Paulo (14 deles); DESO, de Sergipe; e SANASA, de Campinas.

O PNQS é uma das ferramentas que têm mostrado grande eficácia para a melhoria e aperfeiçoamento dos processos de gestão nas empresas de saneamento brasileiras. Reconhecido pela International Water Association (IWA) como a mais importante ferramenta de gestão dos serviços de saneamento ambiental, o PNQS estimula a adoção de modelos gerenciais compatíveis com os melhores exemplos mundiais.

A mesa de abertura contou com a presença de Cassilda Teixeira de Carvalho, Presidente do PNQS; da coordenadora adjunta do CNQA, Nercy Bonato; e de Ellen Martha Pritsch, da ABES Seção Rio Grande do Sul (ABES-RS).

cnqaEm seu discurso, Cassilda Teixeira de Carvalho ressaltou o significado do prêmio. “O IGS deu a oportunidade de as empresas apresentarem seus cases de sucesso de uma forma estruturada e exigindo que isso se tornasse uma prática e não apenas uma ideia. O que são apresentadas aqui são práticas não são ideias e que certamente serão usados por muitos dos presentes”, disse.

“Estamos muito felizes com o evento. Depois de anos de luta a Sabesp Metropolitana tem um reconhecimento por inteiro”, começou Nercy Bonato. “Esse é um projeto exitoso, que vem fazendo um trabalho consistente para as entidades. O projeto deixou sementes e está repercutindo de várias formas, diversas empresas tem criado seus próprios sistemas de premiação e reconhecimento isso é muito importante porque a ABES não está presente em todos os lugares e isso é uma forma de inocular o saneamento para que tenhamos práticas cada vez melhores  e mais consistentes”, completou.

Ellen Pritsch afirmou que “é importante pensarmos um pouco o que é a inovação da gestão do saneamento não são só as práticas mas essa possibilidade de efetivamente existir um fórum onde se discuta uma questão tão importante para o setor, além de trocar amizades e trocar experiências únicas.”

Cases de sucesso e importância do IGS para o setor de saneamento

Sabesp MA – Conservação e valorização dos mananciais da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP). O case foi apresentado por Dilmara Veríssimo  de Souza. “Considero extremamente importante, sobretudo as questões da experiência”, disse Dilmara. “Só avançamos, quando conseguimos somar esforços e conhecimento. É muito interessante essa iniciativa”.

Anderson Barbosa, da Sabesp ML, apresentou a “Estruturação do aprendizado organizacional com foco nos resultados e alcance das estratégias”. “É a quarta vez que apresento, estimulo os outros colegas a participar do IGS. Fomos vencedores em 2015. A importância desse evento para compartilhar e trocar experiências com outras organizações é muito grande”, destacou

Juliana Arantes, da Sabesp MCR, levou aos presentes e aos jurados o “FAVCOM – o Projeto que virou prática de gestão”. Para ela, “o IGS incentiva a gente a tentar criar soluções diferentes para poder divulgar isso para outras áreas. É muito gratificante poder mostrar o nosso trabalho publicamente”, afirmou.

“Cliente georreferenciado – o cadastro do século XXI” foi o case da Sabesp M, apresentando por Marcelo Fornaziero. Para ele O IGS é de extrema importância para o saneamento. “Eu já participo do evento há dez anos. Ele alavanca as práticas das inovações. É uma forma de você pegar pequenas ideias, cases, estruturar como prática de gestão e mostrar os resultados”, frisou. “O compartilhamento que as empresas fazem na hora de apresentação do case é um passo inicial para quem não tem um sistema de gestão estruturado, mas tem uma boa prática em determinado critério dentro da categoria IGS”, argumentou.

casesApresentando o case “Gestão de perdas em rede de distribuição de água no município de Bragança Paulista com a utilização de distritos de mediação e controle”, da Sabesp MN, José do Carmo Ferreira Junior destacou: “é muito importante apresentar o trabalho de inovação no saneamento. Agradeço a oportunidade que a ABES e outras empresas nos dão. Cada trabalho apresentado é um aprendizado, podemos levar isso para nossas empresas e assim melhorar o saneamento no país”.

“Agradeço por poder participar do evento que é muito importante. Podemos visualizar experiências de outras empresas e isso abre o leque de informações. O IGS estimula a inovar e contribuir para o saneamento”, disse Luciano Carlos Lopes, da Sabesp MCEF. Ele apresentou o caso: Implantação de sistema de mobilidade e integração de informações verificadas em vistorias em campo”;

“Mapeamento e diagnóstico de imóveis críticos em obstrução de ramal de esgoto”, Sabesp MCB, foi outro exemplo de sucesso mostrado no evento. “O IGS é uma grande oportunidade para apresentarmos as nossas práticas e conhecermos as de outras áreas. O evento contribui para a evolução do nosso trabalho”, ressaltou Leticia Martins, que apresentou o case.

“O IGS é muito importante peça questão dos trabalhos apresentados que são práticos e usados no dia a dia. O que ajuda bastante a gestão de outras áreas e empresas”, afirmou Roberto Bezerra , da Sabesp MC. O case apresentado por ele foi “Utilização da gestão dos serviços de campo – SIGES como inovação na gestão do processo de combate às irregularidades”

A DESO, Companhia de Saneamento de Recife – concorreu à premiação com o “Projeto técnico de trabalho social PTTS”. Quem fez a apresentação para o público e para os jurados foi Wagner Dantas. Ele pontuou que “o IGS é um grande indicador e programa da ABES para as companhias, serve de referência para seguir as novas técnicas e os novos segmentos da área do saneamento”.

Silvia Soares, da Sabesp ML disse que a realização da premiação é um grande avanço, “porque a cobrança do esgoto é um tema muito emblemático e difícil, mas o uso da rede coletora sem o seu devido pagamento também é uma irregularidade e deve ser tratada como tal. O reconhecimento dessa prática não só na unidade, como em um evento desse porte, é um grande avanço para o setor de saneamento.” O case apresentado por ela foi “Metodologia de identificação de fonte alternativa para direcionar ações de alavancagem de receita”.

Já Raquel Góes, da Sabesp MN, que apresentou o caso “Monitoramento de córregos – Ferramenta para a gestão do processo Esgoto com engajamento da sociedade” destacou que o significado do IGS é está no fato de “ser um evento que reúne as melhores práticas desse setor, aqui no Brasil, é muito importante ter essa disseminação. Esse compartilhamento de informação enriquece, tanto o que a gente tem de informação no dia a dia das nossas atividades, como um todo que proporciona novas ideias e metodologias.”

Para Virgínia Valério, da Sabesp MP – caso “Novo sistema de relacionamento com o cliente”, “é importante valorizar o trabalho. São muitos colaboradores envolvidos, muito tempo de dedicação para a gente, realmente, fazer algo melhor e diferente. Essa premiação vem fortalecer para que outros projetos iniciem e outras pessoas se estimulem e passem a pensar no futuro e em coisas novas.”

“Inovação é sempre importante para o setor. A gente trazer novas tecnologias e novas ideias é sempre uma oportunidade de estar alavancando os resultados e trazendo qualidade de execução de serviços para os nossos clientes, que, no final das contas, são aqueles que mais importam para toda empresa”, afirmou Lidemberg Ant Rodrigues, da Sabesp MC, case: “Gestão de vazamento de água”.

Para Alessandro André Alves, da SANASA, de Campinas, que concorreu com o case “Gestão das informações e monitoramento dos riscos em sistemas de abastecimento de água e esgotamento sanitário”, “é de extrema importância pelo reconhecimento do desenvolvimento do saneamento, não somente a nível municipal, mas também a contribuição que nós temos a nível de Estado e, até mesmo, nacional. Sabemos a importância que temos da redução das perdas físicas, financeiras, e principalmente da evolução do sistema de troca de redes por novas metodologias e tecnologias.”

Marcos Santos Jorge, da Sabesp ML, case: “MASPP III – A gestão compartilhada de controle de pressão”, lembrou que a premiação “estimula a todos os funcionários e técnicos da área de saneamento. Todos nós estamos muitos envolvidos nessa área e a premiação é importante para alavancar não só o saneamento, mas também para nos incentivar.”

E David Luiz de Souza, case Sabesp MN: “Universalização dos serviços de água e esgoto – O desafio das áreas irregulares”, reforçou que “a importância é muito grande porque, além de incentivar as pessoas a divulgarem as suas melhores práticas, propicia para que mais pessoas possam pegar esses cases, levar para as suas áreas e assim beneficiar mais pessoas com a universalização do saneamento.”

Os dois cases vencedores foram:

– “Gestão de vazamento de água”, da Sabesp MC. O case foi apresentado por Lidemberg Ant Rodrigues;

– “Projeto técnico de trabalho social PTTS”, da Companhia de Saneamento de Recife – DESO, apresentado por Wagner Dantas Melo.

Participe! Seja o primeiro a comentar

Dicas, comentários e sugestões

Seu e-mail não será publicado.




Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: