Page 34 - Livro Sabesp
P. 34

' ?VC
_ à g  Sa besp
LEGADOS DA CRISE HÍDRICA

Mesmo assim, pairava no inconscienre dos responsaveis
questões muiio mais profundas. Como equiiibrar o
abasiecimenro sem dei><ar iaiiar agua na casa das
pessoas? O que fazer de iorma emergenciai, que
garaniisse o respeiio a dignidade, no minimo que fosse,
, , mas que preservasse o direiro das pessoas ao consumo
 Ô '  de agua? Como gerenciar a crise iunio a sociedade,
i "  imprensa, Minisierio Púbiico etc.? Como sera o ano de
p _l  _ QOiÁ, ano de Copa do Mundo, em que dezenas de
cneres de Esrado esiariam presenres, com miinares de
l É t,  _ p I iorcedores de rodo o mundo? ?Oi 5 repeiira ZOiÁÊ
e ° 'z ~

'JL' 'A'  _ Cabe ressaiiar esse deiaine "Copa do Mundo”. A area
x _L V r_ ' de inieiigéncia da Copa do Mundo ia rinna ideniiiicado
'“ V P"" a SABESP, no bairro de Pinneiros, em Sao Pauio, como
"a › um dos ponros que iaivez pudesse ier, de aiguma rorma,
" __ _q_ um ataque. Com a crise nidrica, essa probabiiidade
aumeniou. O grande medo era: se invadem rrês mii
V V' __ 'E p pessoas, como se faz para iirar? A aberrura da Copa
  seria em São Pauio, dezenas de chefes de Esiado a

a a" (v  poucos quiiômeiros, dependendo de agua.

n_

' N à ' V. Como aqui era uma area de segurança, do ponio de visra
_ _ da esiraregia dos organizadores da Copa do Mundo, o
A' "N '  Comando Miiiiar do Sudesie estava de proniidao caso
_ 1:, -5 . ' houvesse um coiapso. Exercicios de ocupacao ioram
k n: E m.:  reaiizados na SABESP eies quiseram eniender onde eram
X N  . , v:: ' os pontos para pianeiar uma operação no caso do caos.
i' O Exerciro mapeou iodos os reservaiórios para moniar
guarda se precisasse. Não era em funçao da crise, mas foi
agravado peia crise. Ao iinai, a SABESP io¡ parabenizada

devido aos seus mecanismos de seguranca.


























































   32   33   34   35   36