Page 74 - Livro Sabesp
P. 74

A - a". r 
' "F41 * « ,
y . › _, 47: v! N
,s  e sabesp
r . LEGADOS DA CRÍSE HÍDRICA
â W
i4
-¡ _ . _ .
, , _ imagina o ramanho da encrenca. Rezava se para nao
V ' . i ier nenhum probiema na Cordi|heira, para nao cair neve
\

- e o caminhao nao conseguir passar. Eies chegavam
7 por Foz do iguaçu, iam ate' a empresa brasiieira para
' irocar a noia, para depois eniregar. Por isso que havia

um grande acompanhamento.

' Eem um desses moniioramenios, um drama. As equipes da

_ '- i SABESP passavam até Finais de semana acompanhando
_ ' a vinda dos caminhões do Chiie. Por meio de iroca

' de mensagens, ie|eionemas, eies viram que havia um
 irônsiio inienso devido a um desiizamenio de neve nas
_ Cordiiheiras dos Andes. Havia prazo para entrega. Por
sorie, os caminhões ia iinham passado, eram os úiiimos

\\\ ioies para o Íim da obra em São Pau|o.
l. _

A coniribuicõo dos Fornecedores foi iundameniai.

____ Sabedores de que a emergência esrava |aienie nos

r i¡ prazos, principaimenre para esses úirimos tubos, eies

V A a s enienderam que seria muito mais rapida a iroca de nota

. em Guaruihos, nao no Parana. Mandaram o caminhao
, x direto, pois seria mais iacii a entrega. Quando a SABESP

' É; foi avisada, os iubos estavam muito mais próximos do
, ' que se imaginava. Se esse Fornecimento não chegasse no

' ' _ Tempo, não se conciuiria a obra.
\L-
.› a *
"às _- r
 p « e
'a * 9 . .
'i V; \ j: s t. '
. 'anne ¡ S S
a _âhí
73
'\*:_.;.
13,_ -75- .










































   72   73   74   75   76