Painel apresenta no Congresso da ABES projetos e soluções para o reúso de efluentes no país

Painel apresenta no Congresso da ABES projetos e soluções para o reúso de efluentes no país

Em um período de falta de chuva e escassez hídrica, o mais importante evento de saneamento ambiental do Brasil deu espaço para tratar da significância do reúso e seus benefícios para a sociedade.

Por Equipe de Comunicação ABES

O 31º Congresso da ABES (Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental) e Fitabes 2021 (Feira Internacional de Tecnologias de Saneamento Ambiental) está sendo realizado em formato híbrido na cidade de Curitiba. Neste segundo dia, 18 de outubro, o evento contou com um painel sobre o reúso da água analisando as questões ambientais, sociais e econômicas com apresentação de soluções e projetos para atender a população e a indústria. Confira o álbum de fotos (oficial) aqui e do público aqui.

Coordenado por Josivan Cardoso Moreno, coordenador nacional da Câmara Temática de Recursos Hídricos da ABES, o painel “Reúso de efluentes e seu papel para segurança hídrica” contou com a moderação de Ana Asti, subsecretária da Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade do Rio de Janeiro e com as participações de Tibério Magalhães Pinheiro, superintendente de Implementação de Planos, Programas e Projetos da ANA – Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico; Karina de Moura Costa Alencar, coordenadora adjunta da Câmara Temática de Dessalinização e Reúso da ABES; Marcelo da Fonseca, diretor geral do Instituto Mineiro de Gestão da Águas (IGAM); e Márcio da Silva José, vice-presidente da Aquapolo Ambiental.

Tibério Magalhães participou de forma online e fez uma apresentação contando como se insere o tema de reúso na agenda da ANA, destacando processos, regulamentação e aplicações realizados pela companhia, mostrando o “Atlas Esgotos – Despoluição de Bacias Hidrográficas”. “Agradeço a ABES pelo convite e acho muito bom participar de um painel com um tema tão empolgante”, informou.

Karina Alencar, falou sobre o futuro do reúso da água no Brasil e informou sobre exigência do novo marco regulatório do setor, que exige das empresas um programa efetivo sobre o tema. Focando nas questões ambientais e principalmente nas econômicas sua apresentação abordou o tema “Viabilidade econômica para implantação de reúso nas companhias de saneamento”. Karina disse: “existe muito investimento e oportunidade de negócios para se fazer com o reúso da água no Brasil, mas falta um planejamento econômico para viabilizar os projetos”.

Marcelo da Fonseca, que também participou de forma online, abordou o reúso de água no estado de Minas Gerais e como eles estão lidando com a crise hídrica na região, apresentando um histórico das chuvas com a apresentação “Anomalia de precipitação – Período Chuvoso 2020/2021”. “Para fazer frente ao aumento da demanda, o governo do Estado criou o programa ‘Somos Todos Água’. Estamos buscando avançar com a inclusão do reúso de água na nossa matriz hídrica”, comentou Marcelo.

Márcio José, começou expressando sobre a motivação para criar a Aquapolo Ambiental, que atende as indústrias, dando um histórico da iniciativa. Em sua apresentação com o título “Projeto Aquapolo”, mostrou os detalhes da infraestrutura, serviços, aplicações, tecnologias e objetivos da empresa. Para fechar sua palestra, apresentou um vídeo institucional que deu uma noção sobre o trabalho realizado. “O mundo está elegendo o reúso como uma das suas fontes mais importantes para a realidade hídrica”, comentou Márcio.

O 31º Congresso da ABES segue até esta quarta-feira, 20 de outubro, presencialmente no Expo Unimed, em Curitiba/PR, em plataforma digital. A programação do maior evento de saneamento ambiental do Brasil está disponível aqui.