Últimas Notícias

PNQS 2020: segundo dia tem apresentações de cases da categoria Inovação em Gestão no Saneamento

Realizado no formato virtual, evento segue até esta sexta-feira (18), quando haverá a Cerimônia de Premiação dos vencedores. Programação será aberta ao público, a partir de 12h20

Por Murillo Campos, Hugo Dourado, Jéssica Marques e Rhayana Araújo – colaboração de Clara Zaim

Nesta quinta-feira, 17 de dezembro, segundo dia do Prêmio Nacional de Qualidade em Saneamento – PNQS Ciclo 2020, foram realizadas 30 apresentações do Seminário de Benchmarking na categoria Inovação em Gestão no Saneamento (IGS). O evento está sendo realizado no formato virtual e segue até esta sexta-feira, dia 18, data em que haverá a Cerimônia de Premiação dos vencedores.

Promovido pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES, por meio do CNQA – Comitê Nacional da Qualidade ABES, o segundo dia do PNQS teve em sua abertura as participações de Alceu Guérios Bittencourt, presidente nacional da ABES, e Marcio Romero, secretário do CNQA, além da apresentação de Aparecida Oliveira, membro do CNQA.

Na sequência, foi dado início às apresentações dos cases IGS, que tem como objetivo captar, reconhecer e disseminar boas práticas de gestão desenvolvidas nas organizações de saneamento ambiental. Os cases foram apresentados por colaboradores de diversas companhias estaduais de saneamento.

Cada participante teve 10 minutos para sua apresentação e os juízes fizeram a avaliação de cada trabalho, com base nos seguintes quesitos: objetividade, clareza, enfoque, replicabilidade, demonstração de resultado e pontualidade.

Confira como foram as apresentações nos temas Gestão Avançada (GA) e Transformação Digital (TD)

 

GA – Gestão da qualidade de água com utilização de lavadores de pastilha de cloro” – apresentado por Fábio Oliveira Andrade, da DESO – Gerência Regional de Produção e Distribuição Centro-Oeste: iniciativa tem como objetivo a otimização na gestão de monitoramento de dados gerados em pontos de recloração mais distantes das unidades de tratamento. A iniciativa permite a redução de custos com energia, produtos químicos e combustível, além da melhora da qualidade da água. 

GA – Gestão Logística da Unidade 151 – Passo Fundo” – apresentado  Plínio Rafael Marques, da Corsan – Surpla: prática consiste em uma gestão moderna das áreas de suprimentos e contratações, na qual possiblita mais precisão nos estoques, com rastreio ágil de documentos e destino de insumos, separação de materiais, logística reversa e maior relacionamento com parceiros comerciais, proporcionado assim mais segurança em todas as etapas de processo.

GA – Aprimoramento da gestão de serviços em oficinas a partir da retomada de certificações da série ISO 9001 – apresentado Renato Augusto Costa dos Santos, da Superintendência de Manutenção Estratégica da Sabesp. O case consiste na adequação das oficinas de acordo com os requisitos das normas ISO, alinhando-se com o modelo do mercado e contribuindo para o saneamento por meio do desenvolvimento de processos ágeis e confiáveis.

GA – Gestão da Melhoria da Eficiência Operacional em ETEs – apresentado por Saulo Nonato de Souza, da Copasa – USTP. A iniciativa constitui-se no gerenciamento de lodo excludente, reduzindo a produção e potencializando as rotinas operacionais, o que proporciona redução de custos e atendimento à legislação ambiental.

GA – Modelo de Gestão para Contratações de Soluções/Inovações para Melhoria da Eficiência e Eficácia – apresentado por Débora Faceto Kurebayashi, da Unidade de Negócio de Tratamento de Esgotos da Metropolitana da Sabesp. O modelo utiliza metodologias para aumentar eficiência das contratações e aperfeiçoar a elaboração de pacotes técnicos, resultando na qualidade dos serviços prestados.

GA – Gestão da Modelagem Hidráulica Simultânea em Múltiplos Setores de Abastecimento – apresentado por Antonio Alberto de Almeida, da Unidade de Negócio Sul da Sabesp. O case impacta no melhor resultado dos índices de IPDT e IANC, ocasionando maior eficiência operacional, melhoria de cadastro e redução de custos.

GA – Gestão de estimativa de consumo para alavancar vendas – apresentado por Andreia Ayres Silva, da Unidade de Negócio Sul da Sabesp. Metodologia permite identificar ações de concorrentes, identificar consumo de empresas e ampliar vendas, especialmente, entre grandes clientes, responsáveis por maior demanda. 

GA – CCM Centro de Controle dos Mananciais – Um Novo Olhar para a Segurança Hídrica na Região Metropolitana de São Paulo – apresentado por Mara Ramos, da Unidade de Negócio de Produção de Água da Metropolitana da Sabesp. Prática tem como objetivo a segurança operacional, supervisão e controle de todos os sistemas que abastecem a região metropolitana de São Paulo, a fim de otimizar a gestão de recursos hídricos por meio de gerenciamento online.

GA – Programa Água, Vida e Cidadania” – apresentando por André Gutterres Borges, da Corsan-Surmet. Iniciativa visa a regularização do abastecimento de água em áreas de ocupações consolidadas. A medida colabora para eliminar ligações clandestinas, reduzir fraudes, diminuir perdas e dar mais qualidade de vida às pessoas.

GA – Gestão Multifocal do Esgotamento Sanitário na Maior Comunidade de São Paulo, de Rodrigo Batista de Castro – Sabesp Ipiranga
Rodrigo mostrou as ações feitas na comunidade de Heliópolis, informou que o crescimento da população fez com que a rede de esgoto ficasse subdimensionada, causando transtornos para os clientes e para a empresa. Apresentou um caso de obstrução da rede que fez o esgoto invadir uma casa. A partir dessa constatação foi elaborado um projeto pela metodologia canvas e a criação de mapas temáticos para identificar o problema que causou a obstrução.

GA – Otimizar o processo de vistoria no isolamento social – apresentado por Cintia Ines Nunes – Sabesp Jardins
Cintia explicou como foi a transformação de um serviço de vistoria, totalmente presencial, para atender os clientes com a mesma qualidade nesse momento de isolamento social por causa da pandemia da covid-19.  Os indicadores mostraram que houve um atendimento mais rápido, gerando um índice de satisfação maior. Além dos ganhos financeiros para a empresa, houve o ganho de tempo na realização do atendimento. “Isso melhora a imagem da empresa, o cliente fica satisfeito e há ganhos para todas as partes”, salientou.

GA – Soluções inovadoras para incremento de economias encaminhadas para tratamento de áreas críticas, apresentado por Paulo Rosa dos Santos – Sabesp Interlagos
Paulo explicou que o projeto surgiu de uma necessidade uma vez que constataram que não conseguiam atender muitas áreas de forma convencional, para o tratamento de esgotamento sanitário. Apresentou as características demográficas da região, com os grandes desafios impostos pelo local. Mencionou como é o atendimento realizado pela empresa, em números, na região do extremo sul da cidade. O planejamento foi pensado para se criar uma consultoria com objetivo de universalização da água.  “Esses são os passos que tomamos para realizar nosso projeto”, comentou.

 

GA – A assunção do Município de Santo André, o Plano de 100 dias: utilização de metodologias ágeis para Planejamento de ações e gestão da Satisfação entregando resultados em curto prazo – apresentado por Guilherme Oliveira – Sabesp Tamanduateí
Guilherme contou o histórico do momento em que a Sabesp assumiu a região de Santo André, que apresentava diversos problemas e o grande desafio que foi mudar o panorama em 100 dias. Foi implantada uma gestão ágil de saneamento na cidade. O plano foi dividido em três processos: água, esgoto e comercial. “Fizemos uma pesquisa telefônica com 31 perguntas sobre o antes e depois dos 100 dias de atuação para saber a satisfação dos clientes. Identificamos que precisava melhor abastecimento e aumentar o tratamento de esgoto”, ressaltou.

GA – Grandes Consumidores Leste – apresentado por Cristiane Sandrini – Unidade Amiga da Conciliação
Cristiane falou como eram feitas as cobranças ao cliente antes da implantação da nova prática de conciliação, que causava grande inadimplência para a empresa e muita insatisfação dos clientes. Após o início do programa houve uma melhora na satisfação dos clientes que conseguiram entender seus débitos, isso fez com que a empresa recuperasse uma boa quantia de recurso inadimplente. “Nós antecipamos o contato com o cliente que está em débito e essa prática inovadora gerou um ganho nas negociações”, afirmou.

 

GA – Atuações da eficiência operacional no processo de esgotos em áreas de vulnerabilidade social – apresentado por Pedro Geraldo de Oliveira, da Sabesp – Saneamento Básico
Pedro falou sobre o perfil da UGR de São Mateus e as características da região que fica no extremo leste da cidade. O desafio era melhorar os indicadores do índice de desobstrução de redes de esgoto, mas foi além e gerou a oportunidade de oferecer nossos produtos ligação/coleta e tratamento de esgoto. Para isso foi realizada uma otimização da eficiência operacional.  As obras impactaram positivamente na saúde e meio ambiente da região, com a limpeza de córregos. “Nos levamos a essa comunidade dignidade, respeito e cidadania”, frisou.

GA – Redução dos lançamentos de esgoto “in natura” com gestão das ligações de esgotos factíveis, com foco na conservação ambiental e universalização – apresentado por Márcio Roberto Mori Machado, da Sabesp – UGR São Miguel
Márcio falou sobre o trabalho inovador que gerou a redução dos lançamentos de esgoto a céu aberto. Os fatores críticos que se destacam são: despejo irregular de esgoto, cliente não reconhece o valor de tarifa do esgoto e a dificuldade de adesão após a implantação de redes coletoras. Fizemos um levantamento e detectamos que muito clientes não ligavam suas redes, mesmo com toda ligação disponível. “Formamos uma equipe especializada e humanizada para sensibilizar a população e informar os benefícios de se ter uma rede interligada”, contou.

GA – Atuação colaborativa para redução de obstrução de rede de esgoto em clientes do ramo alimentício – apresentado por Luciano Carlos Lopes, da Sabesp – MCEF-Divisão de Efluentes Não Domésticos
Luciano fez uma introdução falando os conceitos do que são índices de ramais domiciliares IORD e índices de redes coletoras IORC. “Vimos a oportunidade de lançar uma caixa que reteria a gordura eliminada pelas empresas, que é o maior causador das obstruções de redes das empresas alimentícias. Fomos em busca de conscientizar esses empresários sobre a importância do tratamento correto do seu esgoto e conseguimos criar uma nova norma para esses casos”, disse. Para fechar foram apresentados os resultados obtidos em 2020.

GA – Medidas preventivas para um atendimento operacional eficaz – apresentado por de Amanda Araújo Silva, da Sabesp – UGR São Mateus
Amanda informou quais foram os problemas encontrados no atendimento ao cliente para explicar o projeto implantado. A equipe operacional melhorou a triagem dos serviços na central fazendo com que o atendimento do campo ficasse mais facilitado. Foi implantada uma prestação de pós serviço, para identificar falhas no atendimento e assim antecipar o contato com o cliente evitando desgaste e insatisfação. 

GA – Piracema PIO – Abordagem ágil inspirada no Scrum para planejamento e gerenciamento iterativos – apresentado por José Vitor de Lira Haraki, da SABESP – Superintendência de Planejamento Integrado.

O nome “Piracema” tem como origem o movimento dos peixes de “nadar contra a correnteza”. O valor-chave do projeto, segundo Haraki, foi integração das pessoas, com o objetivo de diminuir a sensação de solidão causada pela pandemia de Covid-19. O resultado foi um aumento na participação dos empregados no planejamento das ações em 296%. No planejamento, a medição deixou de ter foco no produto e passou a ter foco no valor entregue. Em três meses de pandemia, de acordo com Haraki, foi possível adaptar o desdobramento da cadeia de valor SABESP; foi feito um treinamento no Sistema de Indicadores SABESP; um desdobramento de políticas institucionais e a atualização do Sistema de Gestão de Documentos. 

GA- O Cliente é Nosso – Gestão Integrada dos Serviços Comerciais e Operacionais – apresentado por Anilsa Assis Campos Lima, da SABESP – MN 

A partir do aumento no número de reclamações e insatisfações com a prestação de serviços, surgiu a oportunidade de rever estratégias de relacionamento e fidelização; trabalho em rede e a integração entre as áreas operacionais, comerciais e prestadores de serviço, além da repactuação de prazos e realimentação dos clientes. O projeto foi conduzido por meio de grupos chamados “O Cliente é Nosso”, que trata do relacionamento com o cliente. Os membros são funcionários que foram capacitados com os seguintes diferenciais: refinamento da metodologia de trabalho em rede; e ferramentas gerenciais inovadoras, permitindo aos gestores o acompanhamento em tempo real dos resultados e a atuação imediata e proativa para identificação e correção de desvios.  

GA – Implantação do Centro de Operação e Controle de Segurança Patrimonial da Diretoria Metropolitana, apresentado por Silvio Cesar Martin, da SABESP – MIS-Centro de Serviços Compartilhados 

A abrangência do projeto contempla 1.550 instalações, em toda a Diretoria Metropolitana, atendendo estações de tratamento de água, de esgoto, reservatórios, estações elevatórias de água e de esgoto, agências de atendimento, polos de manutenção e boosters. A oportunidade surgiu a partir do número de ocorrências de segurança patrimonial que estavam acontecendo na Diretoria Metropolitana até o ano de 2016, gerando desabastecimento da população e aumento nos custos. Assim, foi criado o modelo do Centro de Operações e Controle – COC, que faz o monitoramento de todas as instalações, com vigilância e portaria, vigilância eletrônica (câmera e alarmes) e um “pronta resposta”, que gera um atendimento da central em 30 minutos após o disparo do alarme. 

GA- Gestão ativa do acompanhamento dos compromissos do Contrato de Programa e comunicação com a Prefeitura de Santa Maria – apresentado por Rafael Limberger Sonego, da CORSAN – SURCEN 

O projeto surgiu a partir do término do contrato de concessão da cidade com a Corsan, o descumprimento do antigo contrato de concessão e a dificuldade de negociação do novo contrato. Com isso, foi criada a Unidade de Gerenciamento do Contrato de Programa – UGCP, com engenheiros civis dedicados exclusivamente à fiscalização. Segundo Sonego, a atividade é única dentro da Corsan e faz a gestão local dos compromissos do contrato de programa, com acompanhamento diário do cumprimento de cláusulas contratuais e planilhas dinâmicas para gestão. Os resultados incluem aumento nos atendimentos, nas cláusulas acompanhadas e diminuição no número de multas recebidas por descumprimento contratual.  

TD – Arquivo Digital Comercial – apresentado por Gabriel Alexandre Lima de Souza Seibarauskas, da SABESP – UGR Ipiranga 

Seibarauskas contou que o projeto surgiu após a análise de dados que mostram o gasto de mais de R$ 1 milhão com a compra de 63.955 pacotes de papal sulfite, o que gerou a derrubada de mais de 6 mil árvores. Com isso, foi feita a compra de um HD externo, a criação de uma pasta na rede e mapeamento nas impressoras do Escritório Regional. Conforme apresentado, após um período de testes e criação de definição de backups, o Arquivo Digital Comercial passou a ser utilizado por todo o escritório para todas as solicitações de serviço. Com isso, alguns serviços foram digitalizados, como o recebimento de recursos de cliente via e-mail. Segundo Seibarauskas, esse foi o primeiro escritório a utilizar arquivamento digital no setor de Saneamento, com alinhamento ao OD-12 da ONU. Os resultados foram a queda de 89,94% no número de árvores necessárias para produzir papel e redução em 100% no número de caixas de arquivo de solicitações.  

TD – Inovação e Gestão: Desafios para garantia de sucesso no processo de automação no setor de saneamento – apresentado por Renato Franzotti, da SABESP – ME 

De acordo com Franzotti, a instrumentação analítica é responsável por 92% dos casos de problemas de manutenção e operação. Com isso, foi possível concluir que a única forma de fazer a automação era mitigar esse problema. O projeto começou em meados de 2016, após benchmarking na Coreia do Sul, na Alemanha e no Polo Petroquímico de Camaçari (BA). O mapa estratégico incluiu o aperfeiçoamento de processos operacionais, por meio da automação das Estações de Tratamento de Água. As premissas orientativas foram adotar soluções que gerassem valor à empresa, além de não ficar refém de empresas ou profissionais especialistas e chegar à melhor composição de custo de aquisição e manutenção. 

TD – ETA 4.0 Gestão Produção de Água, apresentado por Fabricio Butierres Santana – CORSAN – Departamento de Inovação e Tecnologia

O projeto aborda a transformação digital no que diz respeito à gestão da produção da água. Fabrício apresentou a relevância do projeto e as camadas necessárias para que fosse possível o case ter sucesso. E finalizou com os resultados obtidos.

TD – Sistema Integrado de Gestão de Ordens de Serviços – SIGOS, apresentação de Jorge Luiz Borges – COPASA – UNMT

Jorge apresentou as oportunidades para a implantação do projeto na Copasa. Pontuou também a relevância do case tanto para a companhia, quanto para o setor de saneamento de modo geral. Apresentou, ainda, o cenário da empresa, anterior ao projeto, e o atual, após os resultados alcançados.

TD – Telemetria Micromedição – Desenvolvimento de Tecnologia em Telemedição de Medidores de Água com Rede IOT “Internet das Coisas”, apresentação de Fábio Royes Regada – CORSAN – SURPLA

Fábio iniciou a apresentação mostrando os problemas ligados à gestão e tecnologias que o departamento almejava resolver. Ele mostrou, ainda, as oportunidades e desafios enfrentados durante a aplicação do projeto. E finalizou com os resultados obtidos.

TD – Otimização da força de trabalho em atividades administrativas com uso de novas tecnologias – apresentado por Bruno Jamalaro Ligat – SABESP – Departamento de Serviços Administrativos Integrados – MIS

Bruno contextualizou as características do MIS, departamento responsável pelo projeto, e mostrou as problemáticas enfrentadas pelo setor e a concepção prática para solucioná-las. Além de apresentar como o projeto funciona na prática. E finalizou com os resultados obtidos, com mais de 1250 horas de trabalho manual economizadas.

TD – “PM Móbile” – Otimização dos Serviços de Manutenção Eletromecânica na Unidade de Negócios Sul (UNSL) – apresentado por Josimar Cornélio da Páscoa – COPASA – UNSL

Josimar começou apresentando as principais características do PM Móbile, que funciona há três anos e possibilita a comunicação entre as equipes do campo e o SAP em tempo real. Josimar apresentou os benefícios do aplicativo tanto para os acionistas, quanto para a sociedade, poder concedente e para o setor de saneamento de modo geral.

TD – Desmaterialização de Documentos e Assinatura Eletrônica no Processo de Licitação e Contratação – apresentado por Alfredo da Silva Vida – SABESP – Diretoria Metropolitana

Alfredo iniciou sua apresentação falando sobre a motivação para a implantação do projeto na diretoria. O apresentador falou sobre os resultados obtidos no tempo médio das assinaturas de contratos, após a implementação da prática, com destaque para o atingimento dos investimentos planejados. A diretoria saiu do patamar de 98%, em 2018, para 116% previsto para 2020.

Ao final das apresentações, Márcio Romero, secretário Geral do CNQA, fez um pedido para que os espectadores inscritos contribuam com o aprimoramento do PNQS e preencham a pesquisa de satisfação presente na plataforma que transmite o evento. Clique aqui para acessar.

Aparecida Oliveira, moderadora das apresentações dos cases, realizou o encerramento das atividades desta quinta-feira, agradecendo a participação dos apresentadores, do público espectador e dos membros do júri.

 Nesta sexta-feira (18) a partir de 8h20, haverá o ciclo de apresentações da AMEGSA (Melhores em Gestão no Saneamento Ambiental) e SQFSA (Selo de Qualidade do Fornecedor da Prestação de Serviços de Saneamento Ambiental). O evento será aberto ao público a partir de 12h20, com transmissão por meio do canal do YouTube da ABES.

Confira a programação aberta ao público gratuita, no último dia

Dia 18 de dezembro

12h20 – Palestra – Adaptabilidade e Olhar para o futuro

14h – Palestra – A gestão de ativos como vantagem competitiva no saneamento

15h – Novidades no PNQS para ciclo 2021

15h30 – Cerimônia de Premiação PNQS 2020  

O Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento conta com patrocínio da Sabesp, Saneago e CTL Engenharia.

 

 

 

 

Participe! Seja o primeiro a comentar

Dicas, comentários e sugestões

Seu e-mail não será publicado.




Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: