Últimas Notícias

Integrante do JPS-SP ganha bolsa de estudos para cursar pós-graduação na Holanda

Em 2016, o engenheiro Cristiano von Steinkirch de Oliveira ministrou a palestra 'Alternativas para o saneamento de comunidades isoladas: um olhar sobre o jardim filtrante e o banheiro seco' na Reunião Ordinária da Câmara Técnica de Saneamento e Saúde em Comunidades Isoladas da ABES-SP, na sede da entidade

O integrante do programa Jovens Profissionais do Saneamento da ABES-SP (JPS-SP), Cristiano von Steinkirch, foi um dos dez contemplados com uma bolsa de estudos de dois anos para um curso de pós-graduação no Instituto Unesco-IHE – campus de Delft, na Holanda. A proposta do projeto apresentado por Cristiano, que é engenheiro ambiental pela Universidade de São Paulo, é implementar um centro profissionalizante em saneamento, voltado à capacitação de jovens em situação de risco social.

“A sensação é ótima, pois essa conquista é fruto de muito estudo, dedicação pessoal e profissional nos últimos anos”, revela Cristiano von Steinkirch. “Além de trabalhar formalmente na área, tenho participado ativamente de trabalhos voluntários, utilizando minhas férias, banco de horas e recursos próprios em projetos sociais”, conta ele.

O projeto

Segundo o engenheiro, o projeto apresentado (e selecionado) pelo Rotary Club de Mogi das Cruzes é algo que vem idealizando há alguns anos. “O saneamento é uma área do mercado de trabalho muito promissora. Em Mogi das Cruzes, por exemplo, é estimado o investimento de R$ 1,5 bilhão nos próximos 30 anos”, salienta. “No entanto, há poucas iniciativas de capacitação técnica em saneamento, principalmente na implantação de sistemas unifamiliares em água e esgoto, uma demanda muito presente na área rural e regiões não contempladas pela rede de tubulação pública. Se implantado corretamente, o projeto poderá contribuir tanto para a despoluição do meio ambiente, quanto para a redução da desigualdade social”, explica Cristiano.

Expectativas

“O Instituto UNESCO IHE tem um dos melhores ensinos do mundo em gestão de água e saneamento. E a Holanda é um país fantástico”, frisa. “Estou ansioso para saber o que eu vou fazer quando voltar para o Brasil”.

Ele afirma, ainda, que tem conversado com Thomas Ficarelli, coordenador do JPS-SP, sobre como contribuir na Holanda como membro do JPS. “Umas das possibilidades seria criar uma extensão do JPS em Delft”. Por enquanto, segundo ele, o assunto ainda está sendo estudado.

Importância do JPS-SP  

O engenheiro lembra que o JPS-SP teve um papel fundamental nessa conquista, uma vez que soube da oportunidade por meio das divulgações formais do grupo por e-mail. “Venho acompanhando todas as oportunidades divulgadas por e-mail. Além desta, participei do Desafio Neve (atual projeto “banheiros mudam vidas”) que soube também graças à divulgação do grupo”, conta Cristiano. “A indicação do JPS-SP também foi fundamental para abrir as portas e iniciar as tratativas com o Rotary Club”.

Sobre a bolsa de estudos

A iniciativa, que é promovida pelo instituto UNESCO IHE e pela Fundação Rotária, tem como objetivo ampliar o número de profissionais treinados que possam criar, planejar e implementar soluções para problemas relacionados à água e ao saneamento em países em desenvolvimento e emergentes. As bolsas também têm como propósito promover relacionamentos produtivos entre rotarianos e profissionais qualificados do setor hídrico e sanitário

Participe! Seja o primeiro a comentar

Dicas, comentários e sugestões

Seu e-mail não será publicado.




Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.