Últimas Notícias

30º Encontro Técnico/Fenasan 2019: veja como foi a participação da ABES

A ABES marcou presença no 30º Encontro Técnico/Fenasan 2019 (acesse aqui o álbum de fotos). Confira a seguir:

Abertura

O presidente nacional da ABES, Roberval Tavares de Souza, o presidente da ABES Seção São Paulo, Márcio Gonçalves, e o coordenador da Câmara Temática de Comunicação da ABES, Dante Ragazzi Pauli, prestigiaram a abertura do evento, capitaneada pela presidente da AESabesp, Viviana Borges, e que teve, entre outros convidados, o presidente da Sabesp, Benedito Braga, o secretário de Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Marcos Penido, o deputado federal Samuel Moreira e os diretores da Sabesp Paulo Massato, Edison Airoldi e Ricardo Borsari.

Durante sua fala na abertura, o presidente da Sabesp elogiou a atuação da ABES em relação às discussões do marco regulatório do saneamento. “Cumprimento Roberval Tavares, presidente da ABES, que tem tido papel importantíssimo nessa discussão do saneamento hoje no Brasil. Brasil pelo bom trabalho que está realizando”.

Marco Regulatório

O presidente nacional da ABES, Roberval Tavares de Souza, moderou a mesa “Perspectivas do marco legal do saneamento“, que teve coordenação da presidente da AESabesp, Viviana Borges, e  participações de Geraldo Melo Correa, chefe de gabinete da Secretaria Nacional de Saneamento do Ministério do Desenvolvimento Regional, Percy Soares Neto, da Associação Brasileira das Concessionárias Privadas de Serviços Públicos de Água e Esgoto, e Marcus Vinícius Neves, presidente da Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento Básico – AESBE.

“Eu não tenho dúvidas de que só vamos universalizar o saneamento no Brasil se unirmos o setor público com o setor privado para a realização de investimentos”, afirmou Roberval durante a discussão.

Mesa redonda sobre regularização fundiária

A mesa “Regularização fundiária e urbanização: uma questão de saneamento e saúde pública” foi moderada por Ana Lúcia Brasil, coordenadora da Câmara Técnica de Saneamento e Saúde em Comunidades Isoladas, da ABES-SP, e teve participações de Rodrigo Garcia, do Ministério Público de SP, Ricardo Araújo, Juro Hiroi e Josué Wagner de Campos Pereira, representante da Sabesp na Baixada Santista.

“A falta de regularização fundiária é um problema grave de atendimento das periferias das áreas urbana e rural”, frisou Ana Lucia, que também lembrou que o 1º Encontro Técnico foi realizado no hall da Sabesp. “Veja o espaço que o evento ocupa hoje. Foram 30 anos de muito trabalho e muito sucesso”.

Regulação em foco

No segundo dia do 30º Encontro Técnico (Congresso Nacional de Saneamento e Meio Ambiente), realizado pela Associação dos Engenheiros da Sabesp – AESabesp no Expo Center Norte/SP, o diretor da ABES-SP, Marcel Sanches, moderou a mesa redonda sobre os desafios regulatórios para o saneamento.

A discussão teve palestras de Carlos Motta Nunes, superintendente adjunto do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos da ANA (Agência Nacional de Águas); Agnes Bordoni Gattai, superintendente de Regulação Técnica dos Serviços de Saneamento da Arsesp (Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo); e Hugo de Oliveira, diretor da Projec.

“Um dos pilares para a prestação do serviço é garantir o cumprimento de contratos, garantir tarifas justas, por meio de uma regulação profissional e eficiente, então, ficamos satisfeitos pela AESabesp ter proporcionado esse espaço para o debate e atrair o público”, afirma Marcel Sanches.

 

Potabilidade da água

No dia 18, a diretora da ABES-SP, Roseane Garcia Lopes de Souza, também coordenadora das Câmaras Técnicas de Saúde Pública e Resíduos Sólidos, moderou a mesa “Água de beber: inovações nos critérios de potabilidade e políticas públicas de saneamento e saúde”, com participações de José Carlos Mierzwa (USP), Thais Araújo Cavendish (Ministério da Saúde) e Magnus Martins Caldeira (Secretaria Nacional de Saneamento/Ministério do Desenvolvimento Regional.

O debate tratou dos diversos aspectos que envolvem a água potável no Estado de São Paulo. Os palestrantes abordaram subsídios para a revisão da Portaria de Qualidade da Água para Abastecimento Público, estabelecimento de padrões de qualidade e outras políticas públicas na área do saneamento, tema que, segundo os expositores, está diretamente ligado à área da saúde.

“O evento que trouxemos não é importante só para a área da saúde. Se a gente não tiver clareza de que os órgãos de meio ambiente, recursos hídricos, saneamento e saúde estão pautados em políticas públicas em uma agenda comum, a gente não consegue avançar para ter uma água segura. Podemos ter uma água de beber, mas ela pode não ser segura”, enfatizou Roseane.

No estande da AESabesp foi lançado o livro “Tratamento de Esgotos Domésticos em Comunidades Isoladas”, uma realização da ABES-SP, em parceria com a AESabesp e a Unicamp, e que teve como uma das coordenadoras a Engenheira Ana Lucia Brasil.

 

Relatorias

O 30º Encontro Técnico AESabesp – Congresso Nacional de Saneamento e Meio Ambiente teve pela primeira vez, a relatoria de Mesas Redondas e Painéis, coordenada por Alzira Garcia, Mariza Prota e Sonia Nogueira. Oito associados da ABES integraram a equipe.

Erasmo Gomes Santos Junior, Presidente da ABES – Seção Sergipe e funcionário da DESO(Companhia de Saneamento de Sergipe), foi um deles, relatando a mesa “Água de Beber: Inovações nos Critérios de Potabilidade e Políticas Públicas de Saneamento e Saúde”. . “Participei de duas mesas e é muito gratificante. Já fui relator no Congresso da ABES e parabenizo a AESabesp por inserir essa atividade no Encontro Técnico que é tão tradicional para o saneamento. Espero poder contribuir como relator ou palestrante nas próximas edições”.

Trabalhos técnicos: JPS presente

O JPS-MG marcou presença no evento. A Engenheira Ambiental e Mestra em Qualidade Ambiental Ingrid da Silva Pacheco apresentou o trabalho “Aplicação de composto lamelar para remoção do contaminante emergente ibuprofeno em águas: processo de absorção”.

O Programa Jovens Profissionais do Saneamento da ABES – JPS  orgulha-se e incentiva a educação, a ciência e a produção cientifica. Dar visibilidade e enaltecer trabalhos relevantes para a sociedade e lançar mão do exemplo como ferramenta elementar da mudança tem sido o foco da iniciativa. Além disso, fomentar o protagonismo e amplificar a contribuição feminina em todos os campos das ciências é, para nós, mais que um objetivo, trata-se do cerne do JPS como programa de desenvolvimento e empoderamento jovem.

Veja mais imagens na página da ABES no Facebook (acesse aqui).

Acesse também o álbum de fotos (aqui)

Participe! Seja o primeiro a comentar

Dicas, comentários e sugestões

Seu e-mail não será publicado.




Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: