Últimas Notícias

Prêmio Jovem da Água de Estocolmo: conheça Lívia Luiza Pinaso e Victor Augusto Cruz, vencedores da edição 2019

As inscrições para a edição 2020 estão abertas até 22 de março.

Por Clara Zaim

“Não tenho como descrever como foi esse sentimento. Foi um misto de orgulho e felicidade. E aquele pensamento que todo esforço valeu a pena”, Lívia Luiza Pinaso.

“Aprendi muito com a experiência e com as pessoas que conheci. Foi uma honra poder representar o Brasil na Suécia e poder falar sobre um tema tão importante quanto a água”, Victor Augusto Marotta Souza Cruz.

É com estas palavras que os estudantes paulistanos, ambos de 18 anos, descrevem a experiência de ganhar o Prêmio Jovem da Água de Estocolmo (Stockholm Junior Water Prize – SJWP) – Etapa Brasil 2019, e representar o país no exterior. 

A 3ª edição do prêmio no Brasil, que teve o programa Jovens Profissionais do Saneamento JPS da ABES como embaixador, recebeu 27 projetos e teve 5 finalistas. O trabalho vencedor apresentado pelos jovens teve como tema “Síntese de partículas de magnetita associadas a carvão ativo e poliuretano para a adsorção de corantes e íons de Cd e Co” e propõe a remoção de metais da água por adsorção em uma associação de carvão ativado e Poliuret.

O evento que premiou os jovens ocorreu na sede da CETESB, na cidade de São Paulo. A etapa internacional ocorreu em Estocolmo na Suécia, durante a Semana Mundial da Água de Estocolmo.

Os vencedores contaram como foi a experiência de participar deste importante concurso em prol da água e da sustentabilidade, com jovens de mais de 30 países. 

Lívia Luiza Pinaso conta que se inscreveu no prêmio por indicação da orientadora do seu TCC, Marcia Silva, na ETEC Irmã Agostina, na cidade de São Paulo. Segundo a estudante, um aspecto importante para o desenvolvimento do projeto foi conversar com diferentes pessoas, além dos avaliadores, que a fizeram rever diversos pontos com perguntas e sugestões. 

Para a segunda etapa internacional do concurso, que é realizada em Estocolmo na Suécia, os jovens receberam a mentoria de Muriel Lana Bocayuva e Carolina Niemeyer, da empresa Iguá Saneamento. De acordo com Lívia, as mentoras foram muito receptivas e ajudaram com a apresentação para apresentar os pontos fortes do trabalho. 

A premiação foi um grande aprendizado para a estudante. “Ganhamos o Prêmio Jovem da Água etapa Brasil e, assim, fomos apresentar nosso trabalho de TCC na Suécia. Não tenho como descrever como foi esse sentimento, foi um misto de orgulho e felicidade. É aquele pensamento que todo esforço valeu a pena”, orgulha-se. “Depois das apresentações, fizemos algumas análises com o professor Daniel Cornejo, do Instituto de Física da USP, mas não colocamos em prática no mercado ainda”, explica Lívia Pinaso

A jovem ainda afirma que agora se sente mais capaz de fazer os projetos, pois seus horizontes foram ampliados com a experiência. Entre os planos para o futuro estão mudar um pouco de área e seguir para a área da saúde.

“Quero ser pesquisadora e desenvolver mais produtos como medicamentos e tratamentos. Faço cursinho e sigo estudando para os vestibulares de medicina”, afirma.

O conselho da premiada aos futuros inscritos é que tranquilos. Ela ressalta ainda que ficar entre os 5 projetos selecionados já é uma grande vitória. “Vocês já são vitoriosos e, aconteça o que acontecer, tenham muito orgulho do projeto. E para quem ganhar: Parabéns! Divirta-se e prepare-se para se apresentar num dos maiores eventos do mundo, que vai fazer uma grande diferença na sua vida”, finalizou Lívia.

Victor Augusto Marotta Souza Cruz, companheiro de trabalho de Lívia, também comentou sobre experiência. Ele viu no prêmio a possibilidade de apresentar o projeto para outras pessoas e destacar a importância do tratamento de água. O projeto para ele foi bastante trabalhoso e com muitas horas de estudo, mas sentiu-se honrado por ganho a etapa brasileira e por representar o país na Suécia.

“Aprendi muito com a experiência e com as pessoas que conheci. Foi uma honra poder representar o Brasil na Suécia e poder falar sobre um tema tão importante quanto a água”, frisa o jovem. “A experiência me fez ter outra visão sobre a importância de tudo que é relacionado à agua e de como precisa-se de mais pessoas trabalhando nessa área”, complementa Victor.

Atualmente, o jovem está cursando Engenharia Química na USP e pretende se especializar em tecnologia/tratamento de água com mestrado ou doutorado fora do país.

Ele ainda aconselha futuros participantes do prêmio Jovem da Água de Estocolmo: “não desistam dos seus sonhos, lutem até o fim. Um trabalho bem feito será recompensado. Participar do prêmio foi a melhor experiência do mundo para mim. Tenho hoje uma família espalhada pelo mundo e isso não tem preço”, finaliza o estudante.

Sobre o Prêmio Jovem da Água de Estocolmo:

O Prêmio Jovem da Água de Estocolmo (Stockholm Junior Water Prize – SJWP) reúne jovens inovadores entre 15 e 20 anos de todo o mundo, encorajando seu interesse em desafios relacionados à água e sustentabilidade. Criado em 1997 pelo SIWI – Instituto Internacional de águas de Estocolmo (Stockholm International Water Institute), o prêmio é organizado anualmente em duas etapas: uma nacional, realizada em cada um dos países participantes, e uma internacional, na qual ocorre a grande final. 

O SJWP conta com a participação de milhares de jovens de mais de 30 países. A etapa internacional ocorre em Estocolmo na Suécia, durante a Semana Mundial da Água de Estocolmo (Stockholm World Water Week). 

Para maiores informações, acesse aqui.

 

Participe! Seja o primeiro a comentar

Dicas, comentários e sugestões

Seu e-mail não será publicado.




Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: