Últimas Notícias

Brazil Water Week: sessões do tema “Financiamento” trarão experiências, desafios e soluções para o setor de saneamento

“Abordagem proposta nesta edição da BWW 2022 reafirma o compromisso da ABES, nos seus 55 anos de atuação, com o desenvolvimento e a sustentabilidade do setor de saneamento ambiental em todo o país”, destaca o coordenador do tema, Luís Eduardo Grisotto. Leia a entrevista

A Brazil Water Week (BWW 2022) – Semana da Água do Brasil será realizada de 23 a 27 de maio, em formato online. Promovida pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES), esta será a terceira edição do encontro, cujo objetivo é promover discussões internacionais sobre questões relativas ao uso da água e ao saneamento básico.

Ao reunir profissionais de várias partes do mundo com as comunidades acadêmica e técnica do Brasil, a BWW 2022 possibilitará importantes trocas de experiências, trará conhecimento relevante de outras realidades e divulgará internacionalmente as melhores práticas brasileiras.

Luís Eduardo Grisotto, diretor da ABES-SP e coordenador da Câmara Técnica de Gestão de Recursos Hídricos da Seção, coordena o Tema “Financiamento”. Ele destaca na entrevista a seguir que esta edição se propõe a aprofundar esta temática, apresentando experiências nacionais e internacionais e debatendo questões cruciais, como os requisitos para a viabilização de financiamentos e operações de crédito, eficiência dos gastos, gestão de recursos e ativos, parcerias e participação privada, instrumentos inovadores e de mercado (como debêntures, bônus verdes e blended financing, entre outros), além dos desafios trazidos pelo Novo Marco Legal de Saneamento, que estabelece metas de expansão e qualidade até 2033 e condiciona a prestação de serviços à capacidade econômico-financeira e de investimentos das empresas, sob pena de inviabilidade dos contratos.

Confira a entrevista:

Portal ABES Notícias – Qual a importância de promover um evento como a Brazil Water Week em meio aos desafios que temos enfrentado atualmente no que se relaciona ao contexto da água e saneamento, como a crise hídrica e eventos climáticos extremos no Brasil?

Luís Eduardo Grisotto – A Brasil Water Week é um dos eventos mais importantes do setor por abranger temas relevantes e decisivos para o futuro do saneamento ambiental. O acesso à água potável, de forma universalizada, é um desafio que se amplificou diante da pandemia de Covid-19, das mudanças (e incertezas) climáticas e das recentes crises hídricas, reforçando a importância estratégica da produção de água e do abastecimento público na melhoria da saúde e na manutenção da vida.

Ao reunir especialistas do Brasil e de todo o mundo, que também convivem com essas transformações planetárias, a Semana da Água do Brasil 2022 aprofundará esse debate, apresentando e discutindo boas práticas e experiências de diversos países quanto a políticas, estratégias, projetos e ações voltadas à universalização dos serviços, à qualidade sanitária e ao alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU.

Além disso, esse debate deverá colaborar com o processo de implementação do Novo Marco Legal de Saneamento no País, que destaca a questão dos investimentos como um dos seus principais desafios.

Portal ABES Notícias – Por que é importante abordar o tema “Financiamento” num evento como a Brazil Water Week?

Luís Eduardo Grisotto – A questão dos investimentos é, sempre, um ponto fundamental e muito sensível quando se pretende alcançar a universalização dos serviços de saneamento. As restrições orçamentárias de estados e municípios combinadas ou não ao contingenciamento de recursos públicos, à dificuldade na concessão de crédito, às deficiências técnicas e de gestão por parte de muitos prestadores de serviços e à insegurança jurídica e regulatória, são exemplos de desafios que tem de ser enfrentados para que os investimentos aumentem e se traduzam, ano a ano, em melhorias concretas e mais aceleradas dos índices de cobertura e de atendimento, com qualidade e eficiência na operação dos serviços.

A aprovação do Novo Marco Legal de Saneamento no Brasil foi fortemente atrelada à expectativa de aumento de investimentos no setor, sobretudo da iniciativa privada. Várias experiências estão ocorrendo no País, em novas concessões ou no financiamento de Projetos e contratos existentes, que serão colocadas em evidência na Brasil Water Week, demonstrando as dificuldades e os progressos já alcançados e, também, indicando soluções, aprendizados e caminhos para a superação dos problemas e para a viabilização e ampliação dos investimentos em saneamento.

Portal ABES Notícias – O que está sendo programado para este tema  nesta edição do BWW?

Luís Eduardo Grisotto – O Tema “Financiamento”, nesta edição da Brasil Water Week, será abordado em três Sessões Técnicas, abrangendo os principais temas e desafios do setor. A primeira Sessão (6.1) tratará das “Condições para a Viabilização de Investimentos em Projetos de Saneamento e para a Estruturação de Novas Concessões”, destacando questões como a capacidade institucional, técnica e operacional dos Tomadores para minimizar os riscos e viabilizar investimentos. Essa sessão também ressaltará o papel dos investimentos na estruturação das concessões de água e esgoto, ampliando o debate sobre os caminhos e condições para aumentar os investimentos no setor.

A segunda Sessão Técnica (6.2) abordará os “Instrumentos para o Financiamento e Desafios para o alcance das metas do Novo Marco Legal de Saneamento”. Serão apresentados mecanismos para melhorar a eficiência e os custos de implantação e operação dos Projetos, além de instrumentos de mercado, como as debêntures, para alavancar recursos em prazos compatíveis com as necessidades do setor. O papel de instituições multilaterais e bancos públicos nos financiamentos do setor de saneamento no Brasil, assim como garantias, também serão discutidos.

A terceira Sessão (Sessão Especial) tratará dos “Mecanismos e Instrumentos Inovadores de Financiamento e Crédito para Alcance das ODS: Green Bonds, Blended Financing”, nos quais serão abordados instrumentos inovadores que têm sido implementados e que são bons exemplos de alternativas que podem impulsionar os investimentos no setor, como já têm feito alguns países latino-americanos, como Chile e Colômbia, que já empregam com sucesso esses mecanismos. Essa sessão se dedica a identificar essas alternativas empregadas em outros países e setores e discutir quais as condições necessárias para que o setor de saneamento possa se beneficiar dessas opções.

Esses temas serão abordados por entidades financiadoras regionais e internacionais, agentes econômicos, empresas e especialistas com atuação destacada nas áreas de financiamentos públicos e privados. Entre os órgãos e entidades convidadas incluem-se o Banco Mundial, BID, BNDES, Caixa Econômica Federal, NDB – New Development Bank, Itaú, ANBIMA, Sabesp, Vinci, XP Investimentos e TNC, além de experts internacionais, que apresentarão experiências da Colômbia, do Peru e de diversos outros países.

Esses debates certamente inspirarão e contribuirão com os processos decisórios, com o planejamento e implementação de políticas públicas e, claro, com o alcance do ODS 6 e melhoria do saneamento em todo o País.

Portal ABES Notícias – Quais são suas expectativas para a edição deste ano?

Luís Eduardo Grisotto – Essa nova edição da Brazil Water Week se propõe a aprofundar o tema “financiamento”, apresentando experiências nacionais e internacionais e debatendo questões cruciais, como os requisitos para a viabilização de financiamentos e operações de crédito, eficiência dos gastos, gestão de recursos e ativos, parcerias e participação privada, instrumentos inovadores e de mercado (como debêntures, bônus verdes, blended financing entre outros) e, claro, os desafios do Novo Marco Legal de Saneamento, que estabelece metas de expansão e qualidade até 2033 e condiciona a prestação de serviços à capacidade econômico-financeira e de investimentos das empresas, sob pena de inviabilidade dos contratos.

A grande missão desse amplo debate, envolvendo questões tão sensíveis e desafiadoras, é justamente ampliar o conhecimento sobre os problemas atuais, sobre as dificuldades e obstáculos que impedem a aceleração dos investimentos no setor, buscando soluções, caminhos e alternativas para mudar essa realidade e atender às metas de universalização dos serviços.

É neste sentido que as apresentações dos profissionais, especialistas e agentes econômicos convidados deverão contribuir, ajudando na viabilização econômica de projetos, ações e políticas públicas, em soluções e tecnologias inovadoras e na melhoria dos indicadores de cobertura e eficiência dos serviços. Serão contribuições valiosas, que certamente inspirarão operadores, gestores e tomadores de decisão.

Com essa abordagem, a ABES, nos seus 55 anos de atuação, reafirma seu compromisso com o desenvolvimento e a sustentabilidade do setor de saneamento ambiental em todo o País. 

Participe! Seja o primeiro a comentar

Dicas, comentários e sugestões

Seu e-mail não será publicado.




Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: