Últimas Notícias

Simpósio de Dessalinização e Reúso: entrevista com o palestrante argentino Pablo Tojo; evento correrá nesta quinta, 23, em Fortaleza

Por Sueli Melo

Nesta quinta-feira, dia 23 de março, a ABES, por meio de sua Câmara Temática de Dessalinização e Reúso, coordenada por Renato Giani Ramos, promoverá, na capital cearence, o primeiro Simpósio Nacional sobre Dessalinização e Reúso: Viabilizando Alternativas à Escassez Hídrica.

O encontro ocorrerá no Novotel Fortaleza e vai debater e incentivar o uso da dessalinização e do reúso, tanto em custo quanto em aplicações, para que sejam opções viáveis na busca de soluções frente s situações de crise hídrica. Esta é uma das etapas preparatórias rumo ao Congresso ABES Fenasan 2017, o maior Encontro de Saneamento Ambiental das Américas, que ocorrerá de 2 a 6 de outubro, em São Paulo.

Confira a entrevista do argentino Pablo Tojo, mais um especialista que palestrará no evento. Tojo vai abordar o tema sobre uso de plantas móveis e sistemas de baixo custo para o fornecimento de água potável.  

Pablo Tojo

ABES Notícias – Qual a importância, neste momento do Brasil e em especial do Nordeste, de discutir dessalinização e reuso como alternativas?

Pablo Tojo – Embora o Brasil seja um país que possui grandes recursos hídricos, sua extensão territorial e distribuição demográfica faz com que surjam diferentes necessidades regionais para o fornecimento de água, principalmente em períodos de irregularidades climáticas. Recentemente tivemos uma séria crise hídrica no Sudeste que, embora tenha sido momentaneamente resolvida devido a normalização da quantidade de chuvas, acendeu a luz amarela sobre a necessidade de maior planejamento e elaboração de políticas e soluções para enfrentar problemas como esses. A região Nordeste há muito tempo tem sofrido com o problema da escassez de água, principalmente com a situação enfrentada no Nordeste da maior seca dos últimos 100 anos, mas agora o projeto da transposição do Rio São Francisco está chegando a sua fase final e isso irá criar uma série de novas oportunidades e desafios, pois mais pessoas terão acesso a água, porém essa água precisará ser tratada para o consumo humano.

ABES Notícias -Técnica e economicamente, já são alternativas viáveis para o país? 

Pablo Tojo – Sim, nós acreditamos que são viáveis tanto tecnicamente quanto economicamente, em particular, o tratamento de água, porque as tecnologias de membranas tornaram-se mais acessíveis e populares durante os últimos anos, com baixo consumo de infraestrutura e energia, incluindo a possibilidade de trabalhar em lugares remotos com a energia solar. Hoje a Grundfos possui soluções de baixo consumo de químicos, baixa manutenção e baixo consumo energético a custos bastante acessíveis.

ABES Notícias – Com está esta questão no cenário brasileiro? Quais são os maiores entraves e desafios, neste contexto?

Pablo Tojo – Até pouco tempo atrás essas soluções esbarravam frequentemente em custos elevados e na complexidade de operação, pois uma boa parte dessa demanda está localizada em lugares de pouca estrutura e difícil acesso, porém, com o avanço da tecnologia e a redução dos custos, conseguimos implementar em um equipamento compacto uma solução que facilita o alcance de um equilíbrio socioeconômico.    ABES Notícias – O poder público tem dado a devida atenção a estas técnicas? Pablo Tojo – Pontualmente já existem contatos com representantes do poder público, mas acreditamos que ainda existe muito a evoluir, uma vez que o uso da água e o financiamento das soluções muitas vezes passa por marcos regulatórios que precisam ser melhor definidos ou alterados para que se possa atingir benefícios maiores para a população.

ABES Notícias – Há exemplos bem-sucedidos no Ceará ou em outras partes do Brasil?

Pablo Tojo – Atualmente temos dois casos que estão em fase de implementação no Brasil, um na Região Sudeste e outro na Região Norte, mas ambos ainda terão alguns meses de maturação antes de termos uma quantidade significativa de informações para transformar em cases. Porém no mundo temos diversas soluções implementadas, principalmente na África, Ásia e na América Latina (veja alguns casos).

ABES Notícias – Pode comentar brevemente sobre o tema da sua palestra: “Viabilizando o uso de plantas móveis e pequenos sistemas de baixo custo para o fornecimento de água potável”?

Pablo Tojo – O acesso à água potável é reconhecido pela ONU como um direito humano, no entanto, uma em cada dez pessoas (663 milhões) ainda não têm boas fontes de água potável no mundo. Na verdade, de acordo com a UNICEF, dados da OMS, 13% da água potável utilizada em áreas rurais no Brasil vem de fontes em condições precárias. O aumento constante da população e os assentamentos informais forçam as autoridades a procurar formas alternativas, sustentáveis ​​e acessíveis de fornecer água potável. No topo disso tudo, vários estudos indicam que a água de superfície é a principal fonte de abastecimento de água fresca no Ceará, no entanto esta água não pode ser consumida diretamente, ela precisa ser tratada. A Grundfos, a maior fabricante de bombas no mundo, não pode ficar alheia a esta situação, e, como parte de seu compromisso de desenvolvimento sustentável com a 2030 WRG, ela desenvolveu o Grundfos AQpure, uma estação de tratamento de água compacta e totalmente automatizada que usa a tecnologia de ultrafiltração (membrana) para produzir água potável a partir da superfície ou de fontes de água bruta. Movidas a energia solar, com a possibilidade de monitoramento remoto, baixo consumo de energia e estrutura compacta, a solução da Grundfos também é apropriada para uma resposta de emergência em caso de desastres naturais, mesmo em locais remotos.

 

Sobre o palestrante

Pablo Tojo entrou na Grundfos Argentina em 2008 como responsável pela área de Engenharia, e desde 2013 foi para a Dinamarca, na sede da Grundfos, para fazer parte da equipe de Especialistas de Serviços Técnicos. Sua responsabilidade foi desenvolver a estratégia global de serviços para bombas e sistemas de alta pressão da Grundfos em aplicações de osmose reversa, garantindo a operação e manutenção perfeitas e suporte de start-up para instalações de dessalinização em diversos locais (Ásia, Oriente Médio, Europa e América Latina). Em 2016, Pablo iniciou uma nova jornada como Gerente de Produto Global no departamento de Tecnologias de Água Emergente da Grundfos e tornou-se responsável pelo Grundfos AQpure, um sistema modular e automatizado de água de ultrafiltração e Grundfos AQTap, um sistema integrado de coleta e gerenciamento de água sustentável, com foco no mundo em desenvolvimento. Pablo tem formação em engenharia mecânica.

Participe! Seja o primeiro a comentar

Dicas, comentários e sugestões

Seu e-mail não será publicado.




Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: