Últimas Notícias

PNQS 2019: empresas e fornecedores mostram aprendizados com o planejamento

Segundo dia do evento contou ainda com painel sobre a experiência da Missão de Estudos realizada no Chile, em 2018, pelo PNQS. 

Por Ivana Ramacioti, de Salvador/BA

O Planejamento foi a tônica na tarde desta quinta-feira (28) durante o Seminário de Benchmarking  do PNQS 2019, que trouxe as lições aprendidas por empresas de saneamento do país dentro do setor. Divididos em três painéis os especialistas falaram sobre experiências exitosas e modelos de gestão, visando o aumento da eficiência dos sistemas, o planejamento operacional e a regularidade no abastecimento. O foco da tarde foi a convergência das ações como consequência da excelência dos serviços prestados à população e os aprendizados com os clientes, os modelos de gestão e equipes envolvidas.

No Painel I o secretário do CNQA, Márcio Romero apresentou as empresas e fornecedores que mais investem em gestão. Águas de Araçoiaba- Grupo Águas do Brasil, CTL Engenharia e Saneago – Distrito Goiás analisaram mostraram ao público porque os investimentos em gestão da qualidade e melhorias contínuas geram resultados positivos. “Nós entendemos que conhecimento e gestão são importantes ferramentas de mudança. Sendo assim, capacitar é oferecer não só informação como também pertencimento, item agregador de valor para o trabalho”, esclareceu Angélica Xavier da Saneago-Distrito Goiás.

A empresa goiana atende a 226 dos 246 municípios do Estado e conta com 5.985 funcionários. “Atendemos os os clientes como se fôssemos fazer um trabalho para nós mesmos”, explicou a representante, acrescentando que a Saneago preza por todas as etapas do ciclo, desde as necessidades da população até a segurança do trabalhador. “Damos ao nosso tempo de trabalho a melhor qualidade dos processos por meio da busca pela excelência. E esse é um caminho sem volta”.

Painel II Missão de Estudos no Chile

O destaque do Seminário Benchmarking foi o Painel II com a Missão de Estudos Chile. Uma equipe de sete consultores e especialistas, chefiada por Maria Ângela Dumont Sargaço (coordenadora adjunta do CNQA), visitou o país para conhecer o modelo de gestão e avanços chilenos desde o marco regulatório em 1977, criação de departamentos setorizados em 1988, até a universalização em 2014. O objetivo da Missão foi observar, in loco, outros cenários, mais próximos do Brasil, com bom desempenho em modelo e gestão. Para o grupo, o diferencial do modelo chileno foi, justamente, o planejamento, a definição de papéis e metas da privatização, elaborado ao longo de 15 anos. Todo o relatório da Missão de Estudos Chile está disponível no site www.pnqs.com.br.



Moderador e consultor da Missão, o especialista Carlos Schauff contou como o Chile conseguiu planejar e executar os serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário, passando dos Departamentos Públicos de Água e Esgoto em 1988, chegando ao modelo de privatização atual com atendimento de qualidade assegurado para a população, investimentos e melhorias para o país e, ainda, margem de lucro garantida para as empresas. “Temos muito o que aprender com modelo chileno. Foi um longo trabalho de gestão e planejamento iniciado na década de 70, com marcos regulatórios estratégicos e muito investimento, sem esquecer das garantias ao consumidor e às empresas concessionárias do sistema”, explicou, acrescentando que no Chile foi o serviço público que levou o país à universalização dos serviços de água e esgoto. “Os chilenos entendem que a água é um bem público e econômico, que deve gerar valor. E esta foi a lição aprendida com os chilenos”, finalizou.

Painel III Lições Aprendidas Nível I AMEGSA SQFSA


Finalizando o Seminário, o Painel III apresentou a Embasa, anfitriã do PNQS 2019, com suas unidades do Cabula, Itabuna, Feira de Santana, Irecê, Santo Antônio de Jesus, Candeias, além da Iguá MT Participações, Sabesp – UGR Extremo Norte e UGR Bragantina e Alves da Cunha Engenharia. Este último, representando o segmento dos fornecedores em saneamento do PNQS 2019, é uma empresa baiana, fundada na cidade de Caetité, em 1995.

O Grupo Alves da Cunha trouxe para o painel as práticas de gestão participativa com seus públicos interno, externo e clientes. Entre elas, rodas de conversa com colaboradores e ações socioambientais. Como consequência das participações no PNQS, a empresa familiar que tem 24 anos no mercado de construções em saneamento, lições aprendidas relacionadas à cultura de excelência, visão sistema do negócio, foco no cliente e alavancagem de novos negócios. “Quando um fornecedor busca excelência e melhoria contínua, quem ganha é sempre o consumidor”, finalizou Bruno Cunha, representante da empresa, encerrando as atividades do dia.

Participe! Seja o primeiro a comentar

Dicas, comentários e sugestões

Seu e-mail não será publicado.




Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: