Últimas Notícias

Alunas do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do RS vencem etapa nacional do Prêmio Jovem da Água de Estocolmo 2022

Camily Pereira dos Santos e Laura Nedel Drebes conquistaram o primeiro lugar com o projeto “SustainPads: absorventes sustentáveis e acessíveis a partir de subprodutos industriais”. Elas representarão o Brasil na final internacional, em Estocolmo, na Suécia, entre 29 de agosto e 2 de setembro. 

“SustainPads: absorventes sustentáveis e acessíveis a partir de subprodutos industriais”. Com este projeto, as jovens estudantes Camily Pereira dos Santos e Laura Nedel Drebes conquistaram o primeiro lugar da etapa brasileira do Prêmio Jovem da Água de Estocolmo (Stockholm Junior Water Prize (SJWP) edição 2022, realizada pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES, por meio do programa Jovens Profissionais do Saneamento (JPS). Confira o album de fotos do evento.

A cerimônia de premiação aconteceu nesta segunda-feira, 6 de junho, de forma presencial e inédita, integrada à agenda da Conferência Internacional Rio2030, que abriu os diálogos com a sociedade civil na comemoração dos 30 anos da Eco92, e acontece até sábado (11), no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro.

Camilly e Laura são alunas do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) – Campus Osório e foram orientadas pela professora Flávia Santos Twardowski Pinto.

Após o anúncio, emocionadas, as jovens cientistas comentaram a alegria de serem premiadas e de representar o país na etapa internacional, que será realizada durante a Semana Mundial da Água de Estocolmo, na Suécia, de 29 de agosto a 2 de setembro.

“Estou muito feliz por poder representar o Brasil em Estocolmo e por sermos mulheres cientistas. Foi incrível vir aqui ao Rio e os vínculos que criamos na premiação”, disse Laura.

“Agradeço à Associação por tudo, vocês são incríveis. Nós, jovens, somos o amanhã, somos o futuro e construímos as soluções do amanhã. Estamos aqui para buscar soluções por meio da ciência”, enfatizou Camilly.

A professora e orientadora da dupla, Flávia Santos Twardowski Pinto, rekembrou o esforço das estudantes para desenvolver o trabalho “durante a pandemia, com a escola fechada. Elas iam todos os dias na escola para trabalharmos no projeto e agora iremos representar o Brasil muito bem na Suécia”, frisou, orgulhosa.  

Blue Carpet – Desfile de Moda Sustentável

Antes da cerimônia do Prêmio Jovens da Água de Estocolmo, foi a realizado o Blue Carpet, Desfile de Moda Sustentável para recepcionar os convidados. Os criadores de Moda (designs, estilistas e acadêmicos) que participaram do Blue Carpet foram: Rose Guimarães, Lucy Borges de Moura, Luiz Antonio Gomes, Nagela Maria Gonçalves dos Santos, Andrea Gonçalves de Ghazale, Maria Eugênia Ortega Milluzi, Juliana Bertolini e Ana Carolina Damasio Rodrigues de Freitas.

O Blue Carpet & Mostra de Moda Sustentável é inspirado no “Red Carpet do Oscar” e realizado em parceria com a Câmara Brasileira de Comércio na Suécia e ABES para incentivar a apresentação de criadores de moda brasileiros.
“Aliar moda com sustentabilidade é uma atitude urgente no estímulo de uma cultura consciente e de responsabilidade socioambiental. O Blue Carpet abre espaço para a materialização do discurso e valores da economia circular”, destaca Witan Silva, idealizador da iniciativa.

A abertura da cerimônia teve presença de Miguel Fernández y Fernández, presidente da ABES-RJ, Nilton Caldeira, vice-prefeito da Cidade do Rio de Janeiro, Lomholdt, cônsul Geral da Suécia, Ivonice Aires Campos Dias, secretária de Articulação e Parcerias do Ministério da Cidadania do Governo Federal, Luiza Trajano, presidente do Grupo Mulheres do Brasil e CEO Magazine Luiza (por meio de vídeo), Elisa Sohlman, CEO da Brazilcham Sweden, e Witan Silva, coordenador nacional do JPS e do Stockholm Junior Water Prize. Também participaram Gabriel Fernandes, vencedor da categoria People´s Choices Award do Prêmio SJWP 2021, e Livia Luiza Pinaso e Victor Marotta Souza Cruz, vencedores da etapa Brasil do prêmio, em 2019.

Witan Silva agradeceu a todos os envolvidos no investimento de “um canal de comunicação para que a juventude mostre a sua voz, a sua ciência e o seu potencial”. Também deixou seus agradecimentos às autoridades que estiveram presentes “discutindo sobre a economia verde, a moda sustentável e os legados das Conferências Internacionais e sobre o nosso papel para uma agenda sustentável promissora para garantir a qualidade de vida e a sobrevivência da nossa espécie”. O coordenador do JPS e do Prêmio destacou também os professores, “que com poucos recursos fazem uma verdadeira revolução em nosso país e que trazem aqui o fruto do nosso trabalho. Nosso evento reuniu estudantes, professores, autoridades e mostrou a sociedade no plural”.

Miguel Fernández y Fernández, presidente da ABES-RJ, relembrou o propósito do JPS e o significado do Prêmio para os jovens estudantes. “Estou emocionado com o evento. O JPS foi criado para reoxigenar a importância do trabalho voluntário para o trabalho profissional. O SJWP é um trabalho incrível e desafiador. Dá destaque para a garotada que está começando e despertando o interesse pela ciência. Já fiz parte da banca examinadora e fui coordenador nacional do JPS [biênio 2014-2016]”. Parabenizo o ex-coordenador Álvaro Diogo Teixeira, que trouxe a premiação e agora está sendo realizada”, ressaltou Miguel. “O evento de hoje é uma realização de um trabalho muito forte ao longo dos anos”, concluiu o presidente da ABES-Rio.

Os outros finalistas do Prêmio Jovem da Água de Estocolmo – Etapa Brasil 2022  e que apresentaram seus trabalhos foram:

Thiago Martins Rocha de Paiva, autor do projeto “Remoção de Íons Ni2+ de efluentes a partir de biossurfactante extraído do creme de levedura da indústria cervejeira”; Maykon de Oliveira Silva é autor do projeto intitulado como “CMCA – Controle e Monitoramento do Consumo de Água”; Alberto Barbosa Rodrigues e Gustavo Pacini de Oliveira Tavella, autores do projeto  “Economia Circular: Conectando a captação de água da chuva no uso diário das residências urbanas”; e Renato Timóteo Wanderley e Marcus Matheus Bezerra dos Santos, autores do projeto “Avaliação da utilização da Paina (ceiba pentandra) como substrato para aplicação da técnica de ilhas flutuantes nos canais do Recife”, com orientação da Profª Maria Goretti Cabral de Lima.

Juliana Alencar, coordenadora do Prêmio SJWP, moderou a apresentação dos finalistas. Mario Ramacciotti, diretor da Xylem Brasil, e Lucas Wosgrau Padilha, secretário Municipal de Meio Ambiente do Rio de Janeiro, foram os jurados.

Programação SJWP integrada à Agenda da Conferência Internacional 2030 

Ao longo do dia, a programação do Prêmio contou painéis de discussão, abrindo com o lançamento da Plataforma Ambiente+ do Instituto Estadual do Ambiente – INEA, com a participação do presidente do INEA Philipe Campello, do Secretário de Estado de Ambiente e Sustentabilidade José Ricardo Brito, da diretora executiva do Museu do Amanhã Maria Garibaldi, e do diretor executivo da ABES Josivan Cardoso.

No painel “Conexão Rio2030 & Estocolmo+50”, Sérgio Besserman, curador de sustentabilidade do Museu do Amanhã, ministrou a Aula Magna do evento com o tema “Cenários e desafios para uma transição global: retrospecto e perspectivas futuras”.

O segundo painel abordou o tema “Conhecendo os Laços que nos Unem – Rio2030 & Estocolmo+50”, com mediação de Paulo Manoel Protasio, Diretor Executivo da Autoridade do Desenvolvimento Sustentável, esteve Secretário Executivo do Grupo de Trabalho Nacional de Organização da Rio 92. E presenças e Anders Wolter, chefe de missão da Embaixada da Suécia no Brasil; Regina Cavini, oficial Sênior de Programas do PNUMA e integrante da Stockholm+50; Junio Magela, membro das comitivas Brasileiras nas conferências da ONU em Paris (COP-21) e Copenhagen (Cop-15), e participante das negociações da Conferência Rio+20; e Fabio Barreto, vice-presidente de Produção da Scania Latin America é uma das principais lideranças na condução da jornada de sustentabilidade que esteve à frente da unidade industrial na Argentina quando deixou de utilizar combustíveis fósseis nas operações.

Também aconteceu a abertura da exposição e celebração do Dia Nacional da Suécia, com mediação de Letícia Santos, Oficial de Promoção; e participação de Anders Wollter, chefe de missão da embaixada da Suécia no Brasil; Jan Lomholdt, Cônsul Geral da Suécia e Jonas Montpaz, conselheiro da embaixada da Suécia.

Painel Economia Verde: Sustentabilidade Empresarial (Green Economy – Corporative Sustainability), com mediação de Elisa Sohlman, diretora Executiva na Câmara Brasileira de Comércio na Suécia – Brazilcham, e presença Renata Ruggiero Moraes, diretora presidente do Instituto Iguá de Sustentabilidade e conselheira da Latin American Venture Philanthropy Network (Latimpacto); Leonardo Soares, presidente da CEDAE, e Bruno Montanheiro Head de Gestão Ambiental da Scania Latin America e representou a ótica do setor empresarial com base no ESG e o compromisso com a Agenda Global.

Painel Conexão Jovem (“Young Connection For Today”) e Semana do Meio Ambiente Rio 2030. O debate foi mediado por Maria Fernanda Garrubo Bentubo, coordenadora do Programa JPS-SP e líder na comissão organizadora do Prêmio SJWP. Os palestrantes foram Lucas Wosgrau Padilha, secretário Municipal de Meio Ambiente do Rio de Janeiro, Lucas Chiabi, fundador do Ciclo Orgânico, e Bernard Caffé Figueiredo, cofundador e CEO da Jovens Gênios, professor, empreendedor e especialista em tecnologias educacionais.

Painel Amazônia em Foco: Debate sobre o futuro do planeta e da Amazônia. Haroldo Costa Bezerra, diretor nacional da ABES para a Região Norte, foi o moderador deste debate, que contou com participação dos seguintes palestrantes Rose Guimarães, coordenadora do projeto Novo Extrativismo do látex da seringueira na Bacia do Tapajos – bioeconomia e sustentabilidade na comunidade Jamaraqua; Paulo Amaury, sócio-fundador da Nova Kaeru – O primeiro curtume 100% orgânico do mundo e referência mundial na produção sustentável de Couro de Pirarucu; e Cassiano Figueiredo Ribeiro, militante da economia empreendedora solidária e economista do Governo do Estado do Pará, atuando na assessoria da Secretaria Regional de Governo do Oeste do Pará.  

O evento foi encerrado com show da cantora Chelle, que compôs uma música exclusivamente para o Prêmio e trouxe bailarinos representando a história da cantora Elza Soares. 

A cerimônia foi transmitida pele canal da ABES no YouTube (assista aqui).

Criado em 1997, pelo Stockholm International Water Institute (SIWI) – Instituto Internacional de Águas de Estocolmo, o Prêmio tem como patrona a princesa herdeira Vitória, da Suécia, e reúne jovens inovadores entre 15 e 20 anos do mundo todo, encorajando a juventude em desafios relacionados à água e à sustentabilidade. A competição ocorre em duas etapas: uma nacional, realizada em cada um dos países participantes, e uma internacional, na World Water Week.​Saiba mais sobre o Prêmio aqui.

Participe! Seja o primeiro a comentar

Dicas, comentários e sugestões

Seu e-mail não será publicado.




Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: